Agenda




 Já passou

14/02-

                                      19h

Abertura
The Large Page A Grande Página de João Reynaldo

A Casa Plana recebe a exposição The Large Page A Grande Página, do artista João Reynaldo, trazendo obras identificadas pelo próprio suporte, a grande folha de papel. Explorando-a em sua infinitude de possibilidades por meio da datilografia, suas dimensões podem abrigar uma Mona Lisa, ao mesmo tempo em que pode fazer as vezes de tapete voador e servir como meio de transporte para um personagem voar para outro ponto da narrativa.

O evento de abertura contará com Júlia Rocha e Dan Scandurra, que farão uma leitura performática e bilíngue das obras, e réplicas dos trabalhos estarão à venda.

The Large Page A Grande Página, a obra que nomeia a exposição, é o suporte, tamanho 68 x 99 cm, em que o artista datilografou por seis meses um texto em prosa escrita em brazilian english. O resultado é uma narrativa que ocupa quase toda a área da página, fazendo com que o leitor se perca nessa escala. Utilizando-se do mesmo formato, O sorriso do gato da Rainha Elizabeth experimenta sobreposição de figuras, gerando uma espécie de glitch analógico.

O resultado final é uma exposição em que João Reynaldo incita forma e conteúdo a convergirem: para ler as obras, é necessário debruçar-se literal e figurativamente sobre elas, adentrando a ficção.


08/02-

                                      15h

Lançamento
Tesouros e Quando Conheci Dona Baleia
com contação de histórias

 
A Editora Invisível e Casa Plana convidam para o lançamento de dois livros infantis, "Quando conheci Dona Baleia" e "Tesouros", ambos escritos e ilustrados por Omar Rosário, artista plástico e criador de histórias.
No dia do evento, o artista apresentará uma exposição com as pinturas originais e Lili Antonelo fará uma contação de histórias para as crianças.

+
Ambos os livros participaram do concurso de literatura e ilustração infantil Key Colors em 2018 e foram publicados pela Editora Invisível no início de 2020.

"Quando conheci Dona Baleia" oferece, para as crianças e adultos, uma abertura para o diálogo sobre um tema delicado e evitado; a morte.
Páginas: 33 páginas coloridas
Formato: 21x27cm
Capa dura
Papel polén 90g

"Tesouros" nasceu da necessidade de falar sobre reciclagem, não apenas material, mas também pessoal. Assim como o meio ambiente é poluído pela falta de consciência ecológica, nós também estamos sujeitos a nos contaminar com a ignorância e intolerância social.
Páginas: 29 páginas coloridas
Formato: 21x27cm
Papel reciclato 200g

Venham e tragam os pimpolhos!


01/02-

                                                         15h30

Lançamento:
“A Vagabunda”
 de Colette com Leia Mulheres

▁A editora Imã e a Casa Plana convidam para uma conversa com o clube de leitura Leia Mulheres SP em comemoração ao lançamento do livro A Vagabunda de Colette.

A roda será mediada por Juliana Leuenroth e Michelle Henriques e abordará os inícios do feminismo, a literatura libertária da escritora francesa, sua posição avant-garde bem como outros temas caros à obra da autora.

Sobre:
Leia Mulheres: Criado em 2015 por Juliana Gomes, Juliana Leuenroth e Michelle Henriques, é um clube de leitura focado em obras escritas por mulheres. Atualmente o projeto está em mais de 120 cidades pelo país.
Juliana Leuenroth, jornalista, livreira e estudante de Letras. Coordenadora do projeto Leia Mulheres e mediadora do clube Leia Mulheres de São Paulo. Fala sobre literatura no podcast "O nome do livro" e no site "O Espanador".
Michelle Henriques, trabalha no mercado editorial e coordena o Leia Mulheres desde 2015. Escreve sobre cinema no site Cine Varda e fala de terror no podcast Necronomiconversa.

Sinopse do livro:
A autora francesa indicada ao Nobel, Gabrielle Sidonie Colette, mistura em a vagabunda sua vida pessoal com a da protagonista — uma mulher recém-divorciada do homem que a traía e roubava a autoria de seus livros. A busca pela independência afetiva e econômica de Renée, que passa a ganhar a vida trabalhando nos palcos do bas fond parisiense, configuram ao enredo da obra, “um dos mais verdadeiros retratos dos dilemas de uma mulher livre em uma sociedade dominada pelos homens”, nas palavras de Angela Carter.


 24/01-

                                                 18h30

Valores sombrios:
Deleuze, criptoeconomia e pós-autonomismo

A GLAC edições e a Casa Plana convidam para o encontro de pré-lançamento dos livros 99 Teses Para A Reavalização do Valor de Brian Massumi (março) e Dark Deleuze de Andrew Culp (abril): um workshop-discussão acerca do submundo revolucionário pós-autonomista das finanças coletivas por meio da criptoeconomia, proposto pelo pesquisador e professor canadense Erik Bordeleau.

Em The Power at the End of the Economy (Duke University Press, 2015), Brian Massumi
sugere que uma força contra-política deve engajar-se diretamente com o neoliberalismo, em
seu próprio terreno, pois é no nível infra-individual em que a preparação pré-reflexiva opera.
Mas como se envolver com o neoliberalismo e reverter seu poder, se não experimentando
diretamente com seu principal aparato de captura (subjetiva), as finanças?
As finanças capturam o "que vem", a própria futuridade das nossas vidas. Armada com
derivativos complexos, as finanças tornam o futuro acionável no presente, sendo de diversas
maneiras uma forma de planejamento extrativo autorrealizável que nos priva de nosso acesso
vivo e vibrante à futuridade. Como podemos passar da precariedade individual gerada pelas
finanças predatórias para um avanço em direção às formas de metaestabilidade coletivas e
transindividuais? A criptoeconomia poderia contribuir para tomar as finanças pelas vísceras e
gerar ecossistemas p2p pós-autonomistas baseados em avaliações qualitativas emergentes que
escapem do domínio capitalista de equivalência generalizada? Esta é a hipótese que Massumi
aprofunda em seu último livro, 99 Teses Para A Reavaliação do Valor, a ser publicado em abril
de 2020 pela GLAC edições. Abordaremos essa hipótese neste workshop-discussão em relação a
outro livro importante da tradição pós-autonomista, Dark Deleuze de Andrew Culp, também a
ser publicado em março pela GLAC edições.


13/12 -
                                                                                                                       19h

Lançamento:

Cápsula

_Em 2019, não é somente Neo Tokyo que está prestes a explodir.

Durante o lançamento da publicação Cápsula, antologia de HQs experimentais em homenagem à Akira de Katsuhiro Otomo, será feita uma roda de conversa com alguns dos autores envolvidos, sendo eles: Amanda Miranda, Fernanda Garcia, Monge Han, Nicholas Steinmetz, Puiupo e Taís Koshino. Mediação por Ing Lee, editora e também autora da publicação, representando seu selo editorial O Quiabo. O bate-papo consistirá na troca de ideias com os autores sobre seus respectivos processos artísticos e impressões sobre o legado deixado por Akira, analisando seus desdobramentos e influência exercida até os dias atuais.

_Release do livro

Cápsula é uma antologia em histórias em quadrinhos experimentais em homenagem à Akira, cuja história se situa no ano de 2019, na distópica Neo Tokyo. Reunindo um time poderoso de 9 artistas, de origens e trajetórias plurais, mas que se convergem pela admiração ao clássico de Katsuhiro Otomo. Estréia do selo de publicações independentes O Quiabo, das editoras Ing Lee e Larissa Kamei. Autores: Amanda Miranda, Fernanda Garcia, Grazi Fonseca, Ing Lee, Marco sem S, Monge Han, Nicholas Steinmetz, Puiupo e Tais Koshino.

12/12 -
                                                                                                                    19h

Exibição:

Diante dos meus olhos

Exibição do filme seguida de debate com o diretor, André Feliz, e outro convidado que falará sobre a produção e sobre o contexto musical da década de 1960.

Com uma mistura de jazz, rock e irreverência, na esteira dos movimentos de contracultura da década de 60, o trio Os Mamíferos marcou época na cena musical capixaba, agregando compositores, cantores e artistas da vanguarda cultural daquele momento. Mas 50 anos após a formação do grupo, pouco se conhece sobre a banda e aquela cena que culminou no famigerado Guarapastock, ou Guaraparistock, realizado em Guarapari (ES) em 1971 – o maior festival de música do Brasil até então, no auge da repressão da Ditadura Militar.

O cineasta André Félix toma essas histórias como o ponto de partida de seu primeiro longa, DIANTE DOS MEUS OLHOS, que estreia nos cinemas brasileiros no dia 5 de dezembro após ser exibido no Festival Internacional do Uruguai, no Festival Internacional de Curitiba (Olhar de Cinema), Pirenópolis Doc, forumdoc.bh, Festival de Cinema de Vitória e Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul. Para contar essa história, André documentou os encontros com Afonso Abreu, Mario Ruy e Marco Antônio Grijó, os integrantes “oficiais” do grupo, se valendode depoimentos dos músicos, imagens de arquivo, registros caseiros de ensaios e shows da época, além da criatividade do diretor. Em uma abordagem autoral, o filme apresenta os personagens, seus corpos já idosos, em rotinas diárias e banais, criando um jogo entre a ilusão da imagem e aquilo que estaria diante dos nossos olhos.




“O que mais me chamou atenção na história não era o que a tornava grandiosa, mas a questão do fracasso deles. Eu acho que esse é o elemento político, exatamente no momento em que nos permitimos documentar o nosso fracasso. E mexer na história da música brasileira, que é, em todos os sentidos, nosso maior bem, falar da geração dos anos 60 e 70, me encantava”, revela o diretor.




Com referências que passam pelo poeta Allen Ginsberg e pelo movimento beat americano, Os Mamíferos levavam aos palcos uma performance insana, psicodélica, com rostos pintados e maquiagem carregada. “Em suas várias e diversas manifestações, em diferentes linguagens, atividades e setores da vida, a contracultura chegou aos holofotes em 1968, com seus ‘maios’ e suas ‘primaveras’, mas o fato é que suas bases já vinham sendo fomentadas desde muito antes. Em 1966, Os Mamíferos já estavam bem atentos a todo este ‘zeitgeist’. Eles produziram em alta voltagem um conjunto de canções absolutamente ‘à altura do presente’”, conta o também músico e um dos produtores do filme, Carlos Dalla.

 30/11 -
                                                                                                                         14h

Lançamento:

As artes do cover


Em comemoração ao lançamento do livro As Artes do Cover: performance para além da cópia e do original, receberemos na Casa Plana o autor Henrique Saidel, o filósofo Charles Feitosa e o Grupo VÃO, composto por Isis Andreatta, Julia Viana, Juliana Melhado e Patrícia Árabe para um conversa acerca de covers, originalidade, cópia, autoria, dança e performance.

O objetivo da obra publicada pela editora Circuito é, a partir da observação contextualizada de artistas cover em ação, extrair certos conceitos e práticas neles recorrentes, discuti-los e ampliá-los com um olhar teórico transversal e transdisciplinar.




28/11 -
                                                                                                               19h


Lançamento:

Revista USO #2

Em comemoração ao lançamento da segunda edição da Revista USO, receberemos na Casa Plana um evento que contará com palestra de Vinicius Fernandes e show da banda gROOvenOria.

Diante da caudalosa verborragia decorrente da suposta democracia de fala nas redes sociais, como os conceitos de gênio literário, estilo do autor e subjetividade artística se sustentam?

Venham debater questões urgentes, ouvir um som experimental ao vivo e beber bons drinks no Por Um Punhado de Dólares!


26/11 -
                                                                                                                 20h


Lançamento:

Somos nosso cérebro?


Em comemoração ao lançamento do livro Somos nosso cérebro?, receberemos na Casa Plana um dos autores do livro, Francisco Ortega, e o doutor em filosofia Rogério da Costa para uma conversa crítica acerca da visão neurocêntrica que se difundiu nos anos 90.

23/11 -
                                                                                                 16h
Lançamento:

Retalhos

Retalhos é a estreia de Arlete Mendes na poesia. O livro foi tecido a partir de uma seleção de poemas escritos entre 2011 a 2019, produzido num processo artesanal e totalmente independente abordando temas-retalhos como: mulher, negritude, amor, fé, solidão, que, por sua vez, dançam num bailado, ora frenético ora valseado, sempre sob a batuta da palavra golpeada.

No dia do lançamento a autora propõe o debate A Difícil Arte de Ser Retalho, uma conversa sobre as múltiplas identidades que nos marcam como povo, mas que também nos trazem certa dificuldade de pertencimento dado ao nosso complexo hibridismo.

  11/11 -
                                                                          19h

Lançamento:

Revista Urdume

“Elaborar e ressignificar a montanha de afetos controversos que nos tomaram em 2019 parece ter sido a feliz escolha da maioria das personagens que preenchem as narrativas da quarta edição da Revista Urdume. Afinal, se a arte é uma das belas formas de darmos luz aos nossos afetos, o fio é, sem dúvida, o mais belo material.”

A Casa Plana convida para o lançamento do quarto volume da Revista Urdume, no evento Adrianna Eu, Alexandre Herbete e Cristiane Bertoluci conversarão sobre o fio como expressão de afetos, tema dessa edição.

07/11 -
                                                                          19h

Lançamento:

Hotel Universo

A Cas Plana convida para o lançamento do livro "Hotel Universo", sobre o compositor Ronaldo Bastos. Escrito por Marcos Lacerda, o livro apresenta e analisa as canções mais importantes de Ronaldo, figura central da música brasileira, tendo sido gravado por Milton Nascimento, Elis Regina, Caetano Veloso, Lô Borges, Beto Guedes, Nana Caymmi, entre outros grandes nomes.

No dia do evento contaremos com a presença do autor Marcos Lacerda e de Ronaldo Bastos.

30/10 -
                                                                          19h

Lançamento do projeto fotográfico de Evandro Afonso Ferreira







A Casa Plana convida para o lançamento do projeto fotográfico Intervenção-Restauração do escritor Evandro Affonso Ferreira, no dia do evento o artista estará presente e as bras estarão à venda.

   25/10 -
                                                                          19h

Roda de Conversa:

Arqueitetura Dourada

A Casa Plana convida para uma roda de conversa com Rodolfo Pitarello, autor do livro Arquitetura Dourada. Conversaremos sobre o processo criativo do escritor, a construção de referências literárias e artísticas e sobre suas outras obras, Terras Melancólicas ou Depressão Tropical (2018). A pesquisadora e curadora de história da arte Lara Teixeira compõe a mesa como mediadora.

Arquitetura Dourada é um livro ensaio no qual se propõe um desvelamento de estruturas sociais a partir da reflexão: Poder Social x Poder Religioso/Espiritual. Dentro de uma narrativa aberta e experimental, histórias se desenvolvem e se resolvem em micro contos ou narrativas rápidas.
Essa publicação é o fechamento de um ciclo que é iniciado em Terras Melancólicas ou Depressão Tropical, viagens pela geografia sentimental e o estado de aprofundamento interno. Em Arquitetura Dourada desenvolvem-se mitologias e simbolismos individuais.

Sobre o autor
Rodolfo Borbel Pitarello é artista visual e pesquisador. É pós-graduado em História da Arte e graduado em artes plásticas. Em 2018, publicou o livro “Terras Melancólicas ou Depressão Tropical” (Ed. Riemma), e realizou sua primeira mostra individual, “Durante a hora 00:00”, na Oficina
Cultural Oswald de Andrade. Pesquisa a relação imagética e simbólica de princípios místicos e religiosos na memória cultural.

    24/10 -
                                                                          19h

Lançamento:

O enxerto de Takaká e outros textos de Walter Smetak

Mais conhecido pelas inovações musicais nos campos da improvisação, da microtonalidade e da criação de instrumentos, o suíço-baiano Walter Smetak (1913-1984) legou-nos também uma vasta produção literária. Seu acervo de manuscritos compreende, ainda hoje, dezenas de obras inéditas. Fruto de quatro anos de pesquisas dos originais smetakianos, o livro O enxerto do Takaká & outros textos reúne escritos de diferentes gêneros, apresentados pelo organizador. Poesia, ensaio, crônica, diário/memórias, cartas, dramaturgia, considerações musicais e até algumas extrapolações romanescas - tudo isso entremeado por ilustrações do próprio Smetak e imagens fac-similares de seus manuscritos.

Na Casa Plana, o lançamento contará com a presença do compositor e pesquisador sonoro Livio Tragtenberg para um bate-papo com o organizador do livro, &. Migracielo, sobre o legado e as ideias musicais e filosóficas de Walter Smetak. Está prevista também a exibição do curta-metragem "O Alquimista do Som" (1976) do cineasta baiano José Walter Lima.

23/10 -

                               19h

Cripta:
Depois do fim da Arte

▁A Casa Plana convida para o lançamento do zine Cripta - Depois do Fim da Arte, além da apresentação do grupo a noite também contará com a exibição dos filmes "Velozes, Furiosos e Malvados" e "Atrocidades Amenas"

Cripta foi um projeto de ocupação da Sala Antonio, na Galeria Vermelho, proposto pelo grupo de pesquisa Depois do Fim da Arte, coordenado por Dora Longo Bahia, que investiga qual o papel do artista contemporâneo por meio de intervenções artísticas. Cripta buscou criar intersecções entre os conceitos e formas discutidos durante o primeiro semestre de 2019, em que foram lidos os textos Crítica da Razão Negra e Necropolítica, de Achille Mbembe, O Uso dos Corpos, de Giorgio Agamben, Hegel e o Haiti, de Susan BuckProgramação▁

Programação:
+ 19:00 - 19:30
Exibição do vídeo Velozes, Furiosos e Malvados + 20:00 - 20:15
Apresentação do grupo Depois do Fim da Arte
+ 20:15 - 20:45
Exibição do vídeo Atrocidades Amenas

  18/10 -
                                                                          19h

Abertura da exposição:

Diga-me algo valioso


Federico Lamas, artista argentino que está no Brasil para participar de mais um edição do VideoBrasil no SESC, apresentará também, na Casa Plana, "Diga-me Algo Valioso": uma nova exposição com tecnologia da Visão Infernal, na qual através de uma viseira de acrílico vermelha, os personagens ilustrados revelam seus segredos,
seus desejos reprimidos ou suas realidades paralelas.
Comemorando o décimo aniversário do projeto, nesta exposição poderemos ver novas
animações, uma nova publicação editada no México pelo Gran Salón, serigrafias e
impressões infernais.

Na abertura, dia 18/09, Federico vai apresentar seu icônico VJset que ser acompanhado pelo DJset do jovem musico Benjamim Sallum, e no dia seguinte um workshop livre para exercitar a arte de revelar o mundo infernal em que vivemos.

A exposição previamente apresentada no festival LUSTR em Praga, na Sala de Desenhos Lisboa com galeria RV e no vídeo La Bande no Quebeque é inédita ao público do Brasil e da Argentina.

16/10 -
                                                                                                             19h

Lançamento:

Odisséia: Memórias e histórias de Jupiter Apple

Para celebrar o relançamento do livro A Odisséia: Memórias e Devaneios de Júpiter Maçã, originalmente lançado em 2016, a Casa Plana receberá um encontro de artistas em torno da obra e vida do Júpiter, que vai contar com canjas musicais, depoimentos e projeção de material audiovisual inédito do roqueiro psicodélico.


Os artistas convidados são: André Peniche, Felipe Maia, Juli Manzi, Murilo Sá, Douglas Mam, Zé Pi, Diruajo e outros a confirmar.


12/10 -
                                   16h

Encerramento:

Grandes Coisas de Waldomiro Mugrelise

A Casa Plana apresenta, neste sábado dia 12, o encerramento da exposição Coisas Grandes, de Waldomiro Mugrelise. Waldomiro produziu, em nossa galeria subterrânea, uma série de telas com seu alfabeto imaginário e alguns tecidos com seus escritos ilegíveis, um ensaio que transpassa dos hieroglifos até a tipografia moderna, dando continuidade a sua última exposição Pequenas Coisas.

"Tenho a impressão que Waldomiro começou a desenhar há 30 mil anos. Ele deve ter vivido dentro de uma caverna onde rabiscava manadas e matilhas nas paredes de pedra. 30 mil anos de desenhos, todos os dias. E todas noites – à noite os desenhos eram iluminados pela luz da fogueira(...) Naquele tempo não existia essa coisa que se pretende porosa, mas é um sistema completamente impermeável chamada arte. Também não existia a mania. Alheio a tudo isso que ainda não havia, Waldomiro seguia conjurando no fundo da caverna representações às quais hoje se atribuiriam propósitos mágicos."
Trecho do texto de Leo Felipe sobre a exposição.

▁Som:
↝ Cindy Lensi + Juliana R + Waldomiro
↝ Wutzki

Cindy Lensi explora a música como linguagem dentro do experimental/livre. Também é metade do duo Cama Rosa.
https://camarosa.bandcamp.com/
Waldomiro Mugrelise mostra sobreposições de sons, batidas irregulares, barulhos de selva, barulhos de cidade, barulhos de dentro do corpo e barulhos de fora do corpo
https://waldomiromugrelise.bandcamp.com/album/rebubinado
Juliana R. possui um trabalho solo onde mistura gravações prévias num cassete de quatro pistas como suporte, acrescentando vozes e synth ao vivo. https://aondaerrada.bandcamp.com/album/tarefas-intermin-veis
Vitor wutzki (1991), compõe canções-bússolas.
"espaço em branco", "atrás do atrás", "música nova", "nuvens nuvens" são nomes de algumas das músicas que ele pretende apresentar voz-violão. Seu som tem influências de Edevaldo, Jandek, Leonard Cohen, Walter Franco e Phew. Também gravou com a banda Bin Beri Ban álbum homônimo disponível em: https://binberiban.bandcamp.com/ toca com o cantor e compositor Luis Capucho e com a banda de improvisação livre Coisas Separadas.

05/10 -
                                   16h

Lançamento e roda de conversa:

Kuceta Plataforma

Receberemos o lançamento de 4 fanzines e uma roda de conversa "KUCETA CONVERSA SOBRE eCUnomia", discorrendo sobre produções dissidentes do mercado editorial e de arte hegemônicos para marcarmos esse moment. A conversa abordará entranças e travessias mercadológicas que a plataforma vem estabelecendo, marcações que vêm sendo construídas em diferentes espaços, incluindo centros culturais, galerias de arte, feiras de publicação e outres. Falaremos também sobre as aberturas que vêm sendo instauradas pela plataforma, uma experiência em economia que difere da institucionalizada, uma outra organização econômica que localiza o grupo frente a ele mesmo e dentro do contexto com o qual se relaciona. Com Bruna Kury, Camila Valones, Denise Nuvem, Gil Porto Pyrata, Leila Rosa, Mogli Saura, Moara Brasil, Rudá Terra Boa, Vita Brasil.


Kuceta é uma plataforma transfeminista interseccional que vende trabalhos de artistes brasileires expandindo e articulado circuitos do mercado da arte e além. O veículo é uma galeria virtual, com objetos, performances, trabalhos visuais e sonoros, e também um espaço de referências, processos, debates e provocações. Kuceta Plataforma trança temas como identidade, gênero, sexualidade, natureza e realidade-ficção.

Os zines lançados no dia serão:
▁Vampiras Veganas Vol-1.
Vampiras Veganas: Projeto "Noise Psicanalítico" de banda sem formação fixa. Editado por Denise Nuvem, conta com textos e colagens em diálogo com os "atores" que passaram pelo projeto, e discussões que nasceram da criação em rede por meio das experiências sonoras em desgrupo.

▁Museu da Silva
Museu da Silva, de Moara Brasil, é uma provocação, um pensamento, um questionamento sobre o que é ser indígena x pardo x caboclo x ribeirinho. Trata-se de uma pesquisa que procura construir uma narrativa decolonial em torno de identidades amazônicas e dos processos violentos que estes povos sofrem até hoje advindos da colonização.

▁REVIDA
Zine feito em 2016 por Gil Porto Pyrata, traz textos selecionados escritos pela pessoa socializada enquanto mulher. A proposta do zine é ser a porta de entrada às vivências cotidianas, numa possibilidade de politizar nossos afetos, nossas experiências, e poder debater sobre as que não dão certo. Aviso de conteúdo de violência (trigger warning).

▁OUTRA PORTA
De Gil Porto Pyrata e Rudá Terra Boa, o zine é uma compilação de textos escritos por Gil Porto Pyrata ao longo da vivência de transição, trânsito, corpo trans, não binárie, que juntamente com Rudá, que compartilha trajetórias, também corpo trans, também não binárie, compôs a editoração gráfica que fala sobre esse (não) lugar invisível, a não

28/09 -
                                   16h

Lançamento e roda de conversa:

“Tem que manter isso ai, viu?”



O artista Evandro Prado, o jornalista Eduardo Romero e a crítica de arte Sylvia Werneck levantarão uma discussão em torno do livro da exposição “Tem que manter isso aí, viu?”.



O artista também contará um pouco de seu processo criativo, de sua produção, e da repercussão de sua exposição e livro, junto aos convidados que o mediarão a conversa.

27/09 -
                                   19h

Lançamento e roda de conversa:

“Descolonização da    literatura” livro Alagbára: o sonho

Receberemos na Casa Plana uma roda de conversa sobre o tema Descolonização da Leitura, que será mediada Thiago Carneiro, Dica L. Marx, Isaac Santos e Henrique André, autor do livro em lançamento.

Alágbára: o sonho trata de afetos, escolhas, causa e efeito tomando como base o protagonismo negro, as relações de amizade e a busca pelo equilíbrio. A pesquisa da língua Yorubá para nomear pessoas e lugares é um diferencial do projeto, assim como a valorização da imaginação e a potência para criação do futuro.

26/09 -
                                   19h

Lançamento e roda de conversa:

“A História Universal do After”

Depois do lançamento-festinha na Auta na última terça, vem aí o lançamento-assunto, com roda de conversa, perguntas constrangedoras e explicação de piadas internas muito importantes.

Conversa com o autor, Marco Antonio Mota (nunc), Lucas Neves (Clava/Silvo).
Mediação: Victoria Passos.

Sinopse do obra:

Autoficção, etnobiografia, crítica cultural, piada interna. "A História Universal do After" narra as deambulações pela cena de música eletrônica de São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte de um pós-cientista/rolezeiro em sua tentativa de compreender a dimensão politica da festa e elaborar uma teoria sobre ela (e aquilo que a sucede).

     13/09 -            

                                 16h

Abertura da Exposição

“Coisas Grandes”

Receberemos dia 13 de setembro na Casa Plana a abertura da exposição Coisas Grandes de Waldomiro Mugrelise, que tem produzido em nosso subsolo uma série de 26 telas com seu alfabeto imaginado e alguns tecidos compostos por uma escrita ilegível e repetições objetos incomuns.

Como continuação de sua última exposição Pequenas Coisas, onde iniciou o processo de desenho de fontes, o artista os convida para seu novo processo aberto de escritos.


      11/09 -
                                   19h

Debate:

“Subjetividade e lugar social na literatura”

Os autores leem trechos e falam sobre seus livros sob a ótica de como a visão de mundo dos seus personagens é composta por ao mesmo tempo está circunscrita à realidade do narrador.

Aline Bei, Carlos Messias, Jorge Filholini e Wallace Andrade veem a Casa Plana falar de seus livros sob a ótica de como a visão de mundo dos seus personagens é composta e ao mesmo tempo está circunscrita à realidade do narrador. Todos trarão seus lançamentos recentes:
-Wallace Andrade, autor do recente Fragmentos de um Homem Só (publicado pela Nós e contemplado na 1ª Edição do Edital de Publicação de Livros Estreantes da Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo)
-Jorge Filholini, finalista do Jabuti, que está lançando seu segundo livro de contos: Somente nos Cinemas (selo Demônio Negro)
-Carlos Messias (release da publica em anexo)

05/09

                      19h

Roda de conversa:

“ROMÔ

Romã é o 4º. livro de poemas de Júlia de Carvalho Hansen e o primeiro trabalhado como um processo de pesquisa em torno de uma temática que atravessa a escrita: os poemas de amor.

Os poemas de Romã tratam do desejo, da libido, de um corpo de mulher lidando com emoções, memórias e indagações sobre os encontros amorosos e as suas diversas velocidades emocionais.

Como o gesto da dedicação amorosa desdobra poemas cheios de “tu” e “você”,
sobrepondo destinatário e leitor entre lascas de desencontros e orgasmos, Romã é um livro sobre o amor pela literatura. Do ódio ao tesão, da nostalgia ao esquecimento, os poemas de Romã elaboram imagens e sensações como densidades que problematizam a sintaxe da língua, fazendo-a roçar no prazer.

O evento é aberto ao público.

03/09 -
                                 19h

Lançamento e roda de conversa:

“ LINGOA GERAL”

Haverá uma apresentação da publicação com os editores Ana Luiza Braga e Lior Zisman Zalis e uma roda de conversa: "poéticas da memória - exercícios de inventário contra as políticas do esquecimento" com Juliana dos Santos e Frederico Filippi, seguida de colagem de lambes.

LINGOA GERAL é uma aposta pela potência político-poética de intervenções sobre arquivos como forma de cartografar as manifestações e atualizações do colonialismo no imaginário e na práxis política no Brasil, buscando contribuir para ativar experiências sensíveis que possibilitem novas formas de fazer, sentir e pensar no presente. Com o propósito de ativar memórias e horizontes insurgentes, quinze artistas, ativistas e investigadorxs foram convidados a realizar intervenções sobre documentos e imagens de arquivo, produzindo textos e ensaios visuais. Esta provocação por exercícios de inventário busca questionar discursos e representações que operam como formas de persistência e normalização de violências, assim como reelaborar narrativas que desestabilizam tais mecanismos, desdobrando-se em práticas de resistência e invenção de possíveis.

O arquivo como metodologia artística, enquanto materialidade do passado, pode tanto inventariar histórias, criando cartografias políticas, como inventar poéticas, articulando novos desejos. Em tempos de acirramento de processos de apagamento histórico e de recrudescimento de discursos e práticas autoritárias no espaço público, como pode a prática artística atuar na construção de memórias, instaurando práticas anticoloniais e materializando vínculos sociais a partir de lutas e territórios comuns? A partir deste questionamento e da análise de estratégias dentro do campo das práticas estéticas, propomos uma conversa que atravessa eixos temáticos como a as táticas poéticas em relação aos processos de reparação histórica.

O evento é aberto ao público.


31/08 -
                                   19h

Lançamento:

“ Cartas a desconhecidos”

Elisa de André Motta entrou no universo das palavras inspirada pelo avô, o professor e lingüista Hildebrando Affonso de André. Em 2015, iniciou o projeto “Querido Desconhecido”, que se trata de um “espaço para escrever cartas para qualquer pessoa”. Com o projeto, Elisa recebeu centenas de histórias que fizeram com que ela observasse como as pessoas se comunicam.

O livro Cartas a Desconhecidos é uma coletânea das cartas que foram escritas no projeto. Uma pequena introdução conduz os leitores desde o nascimento do projeto até sua finalização, a maneira como surgiu, as interações, as intervenções artísticas e o relato pessoal. O evento de lançamento acontece na Casa Plana com a presença dos músicos Giu Nogueira e Caio Bassitt que tocarão musicas brasileiras e autorais.

O evento é aberto ao público.

    23/08 -
                    19h

Sarau - Um quarto todo nosso

Idealizado pelas escritoras Cecília Floresta e Cristina Judar, o projeto Um quarto todo nosso visa promover e estimular o desenvolvimento da arte literária (poesia e prosa) que é fruto da dissidência, bem como oferecer um espaço de liberdade, aceitação e visibilidade para que a arte dessxs autorxs possa ser desenvolvida e apresentada de forma plena e espontânea.

Quem participa dos saraus promovidos pelo Um quarto todo nosso tem a oportunidade de desenvolver sua visão particular sobre a arte que pratica, bem como estar ciente de suas potencialidades enquanto escritorxs e criadorxs em um ambiente de acolhimento e de aceitação da diversidade. Na ocasião, além da leitura de textos, haverá a venda de livros e fanzines das escritoras convidadas - o microfone também será aberto para a leitura dxs participantes que quiserem se apresentar.

              22/08 -
                    19h

                       Educação pela Arte

Tendo presente o momento político, sociológico e cultural brasileiro Carlos Moura-Carvalho, Rosana Miziara e André Nigri farão uma reflexão entre a visão portuguesa e brasileira sobre a importância que conceitos como Educação pela Arte, Educação Nova e Teatro Educação podem desempenhar como movimentos de renovação da sociedade.


Numa época em que tantas coisas são postas em causa e em que existe uma enorme indefinição e até inversão de valores e pressupostos não será a educação e a cultura os motes para a mudança e para a construção de uma sociedade mais justa e completa?

              15/08 -
                    19h

Lançamento “TUIM”


O livro Tuim é composto por textos e poemas que relatam o olhar individual e coletivo dos de autores que residem as periferias de São Paulo.

São relatos de abusos, violência e racismo rimados como letras de rap, prosas soltas em tom de desabafo e gritos de liberdade e reivindicação.

Do livro, ressaltam expressões contemporâneas e invenções linguísticas, que foram convertidas em experimentos tipográficos: “menu”, “moiô”, “quem nos protege da polícia”, “TUIM”.

Como lembrança do tuim, a sobrecapa sobrepõe xilogravuras dos jovens autores.


              14/08 -
                    20h

Lançamento “Máquinas Celibatárias”

Uma roda de conversa sobre máquinas celibatárias, destacando nesta noite a máquina Lautréamont, com a presença de Eduardo Jorge de Oliveira (tradutor do livro) e Laymert Garcia dos Santos, autor do livro Ás voltas com Lautéamont. 

12/08 -
                    19h

Lançamento “Encontros”     

Luis Felipe Alencastro

Luiz Felipe de Alencastro formou-se em História e Ciências Políticas na Universidade de Aix-en-Provence na França e doutorou-se em História na Universidade de Paris X Nanterre, ensinou nas universidades de Rouen e Paris-Vincennes. Retornando ao Brasil, foi professor livre-docente e professor adjunto do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas e pesquisador sênior do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Suas linhas de pesquisa abrangem o Atlântico Sul e a história moderna e contemporânea do Brasil, sempre com um olhar crítico e interventivo, na importante tarefa de entender e fazer o Brasil.

A coleção encontros visa resgatar a entrevista como meio privilegiado de comunicação: valendo-se de uma linguagem informal e abordando questões imediatas. No livro de Alencastro, reunimos as suas principais entrevistas, passando por sua trajetória pessoal e acadêmica, desde o testemunho de Maio de 68 na França, quando ainda estudante, até os projetos atuais, e por suas análises de diferentes momentos da história do Brasil nos últimos 30 anos, realizadas com apuro e coragem no calor da hora.

              08/08 -
                    14h

Lançamento + oficina “Revista Viração”

A Plana convida para um encontro de arte e ideias no lançamento conjunto da edição Corpo_, da Revista Viração 115 e do livro Flor(e)cimento, de Daniel Fagundes.

Os corpos e as corporalidades são, de diferentes formas, expostos ao mundo. E, nesse processo, são construídas narrativas que lhes atribuem significados socialmente. Por esse motivo, é importante que cada pessoa possa falar sobre si, construir e desconstruir narrativas que conduzem e interpretam as diferentes formas de se viver. O que dizem por aí sobre o seu corpo? E o que você tem para dizer?

 03/08 -
                    16h Lançamento “Formigas e Rabanetes”

Com doses letais de sarcasmo e ironia, mas com iguais doses de poesia, “Formigas & Rabanetes”, reúne narrativas entrecruzadas entre a lucidez e a loucura. A obra traz também um de seus contos traduzidos por Alison Entrekin.

“Formigas & Rabanetes é um livro raro, na medida em que raramente um autor mergulha tão fundo na sinceridade e na urgência em nos dizer a que veio – veio para desafiar a mim e a você, leitor, e a nos fazer enxergar na literatura de Mikha aquela adrenalina vital que a caretice ignora ou despreza.” Zezé Brandão.


01/08 -
                    19h

Lançamento:
Revista Urdume #3

A Casa Plana convida para o lançamento do terceiro volume da Revista URDUME, nesta edição com fios e agulhas feitas por homens. Para esse pré-lançamento Gustavo Seraphim, responsável pelo projeto Fio da Conversa e pela matéria Tecendo novas masculinidades, e Pedro Luis, conversam sobre as práticas com fios, masculinidades e equidade de gêneros.

URDUME é uma revista independente sobre artes manuais têxteis, expressão e autoconsciência, de periodicidade trimestral. Com missão de estimular conexões entre as artes manuais têxteis e outros saberes, contribuindo para a circulação de ideias que promovam o fazer manual como um caminho para a autoconsciência.

Gustavo Seraphim, pai, entusiasta da equidade de gêneros e de todo o tipo de trabalho manual, é criador do Fio da Conversa e  gestor de projetos da revista URDUME. É também consultor de projetos culturais e artísticos. 

Pedro Luis, conhecido também por pedroluiss, nasceu no Rio de Janeiro em 1989, vive e trabalha em São Paulo desde 2014. Artista plástico formado pela Escola Panamericana de Arte e Design e publicitário formado pela PUC-Rio, trocou a direção de arte para se dedicar às artes visuais. Aos poucos, coisas que sempre acompanharam sua carreira, como colagens, pinturas e desenho a mão livre foram ganhando cada vez mais protagonismo em sua vida. Há pouco mais de três anos encontrou no bordado não só mais uma ferramenta de expressão artística, mas uma maneira de contar a sua própria história.

O evento é gratuito e aberto ao público.


                                                31/07 -
                                                        19h

    Fechamento: “A Casa de Jajja”

Para o encerramento da exposição “A Casa de Jajja”, a Casa Plana sediará um debate acerca das produções artísticas que se constroem fora dos padrões historicamente estabelecidos na sociedade, onde as velhas instituições culturais e do mercado da arte domesticam e regulam o ethos do artista negro. 


A partir do trabalho de dois artistas, Pegge e Diego Mouro, e da pesquisa sobre arte negra da historiadora da arte Mayara Nereu Lacerda, serão apresentadas análises e analogias históricas, políticas e sociais acerca do papel do negro na arte, acompanhadas de uma discussão sobre como suas construções, referências, movimentos e posicionamentos trazem novas abordagens a ressignificação do conceito de arte.

25/07 -
             19h30

Exibição curta metragem:
Mecânica da Sombra

Após uma mudança de moradia que veio mais tarde do que o planejado, moacir (Alberto Pereira Jr.) embarca em uma busca por respostas e novas perspectivas. Ao encontrar uma realidade de não pertencimento, além da dificuldade de adaptação e as lutas internas, o filho da dor começa a questionar algumas questões envolvendo a relação com família, as raízes e o espaço e tempo em que vive.

Moacir se sente forçado a compreender essas novas reflexões a respeito de si e ao ambiente que o cerca nesse processo de autoconhecimento.

A exibição é gratuita e aberta ao público.

                          24/07-
                                19h

       A Casa de Jajja
                 apresenta: 

Cidades femininas antifrágeis

A Casa Plana recebe neste dia 24 uma ativação da exposição A Casa de Jajja. Ana Gabriela Godinho Lima, professora e pesquisadora do programa de pós-graduação da faculdade de Arquitetura e Urbanismo (Mackenzie) conduzirá a fala acerca do tema "Cidades Femininas Antifrágeis".

Nassim Taleb, em sua entrevista ao Risk Mind International, discute o aumento exponencial de informação disponível (Big Data), e a tecnologia que se desenvolve a partir disso, sem que se compreendam direito os riscos e as consequências de sua implementação em empresas, indústrias, governos... Para o autor, as avós são muito mais habilitadas para avaliar riscos, do que os teóricos. Sem brincadeira. Em grande parte, porque as vidas das avós, e das pessoas de quem cuidam, estão implicadas nos riscos que avaliam, enquanto a vida dos teóricos, não necessariamente.

O conhecimento acumulado coletivamente a partir da experiência prática prova-se mais confiável do que modelos construídos a partir de estatísticas. O neologismo “antifrágil”, vem do estudo exaustivo daquilo que fica mais inteligente ou mais forte após passar por experiências adversas, como as avós.
Nesta conversa vamos falar sobre os saberes do cuidado, que foram historicamente deixados a cargo das mulheres e muitas vezes diminuídos ou desvalorizados. Falaremos sobre como serão estes conhecimentos práticos do cotidiano feminino que tornarão as cidades antifrágeis, ou seja, mais inteligentes, sustentáveis e articuladas harmoniosamente com o meio-ambiente.

05/07 -
19h

Lançamento e debate:

Democracia e liberdade

Debate

Resistência Anarquista na Era Trump Como Donald Trump chegou ao poder e o que sua ascensão nos diz sobre os tempos em que vivemos? Quais estratégias os anarquistas nos Estados Unidos estão usando para combater a agenda de Trump e a ascensão de uma base social para a direita e para o nacionalismo? Como isso se relaciona com a situação no Brasil comandado por Jair Bolsonaro?
Contextualizando o governo de Trump em um contexto mundial, discutiremos as novas condições para a luta social e exploraremos as abordagens de auto-organização e autodefesa que anarquistas empregaram nos Estados Unidos desde o final de 2016. 


Lançamento do Livro Da Democracia a Liberdade Com Coletivo Crimethinc (EUA)

Da Democracia à Liberdade é uma coleção que examina as características que conectam as várias formas de democracia, buscando sua origem clássicas até suas variantes contemporâneas – representativa, direta e baseada em consenso – avaliando como o discurso e os procedimentos democráticos servem aos movimentos sociais que os adotam. No caminho, explora como seria se buscássemos a liberdade diretamente e não através de um governo democrático.
O texto conta com análises dos movimentos que ocuparam as ruas e praças pelo mundo nessa última década: o 15M na Espanha, o Movimento Occupy nos Estados Unidos, a insurreição popular na Eslovênia e na Bósnia em 2014, os levantes na Grécia e uma
análise sobre Democracia e a Primavera dos Povos que varreu Paris de 1848. 

Sobre a Crimethinc

Ao longo de 25 anos, CrimethInc. se consolidou como uma rede
internacional anarquista publicando notícias, análises, jornais,
revistas, vídeos, panfletos e vários livros, incluindo alguns dos
títulos anarquistas contemporâneos mais vendidos no mundo, como Dias de Guerra e Noites de Amor. Em 2011, passarem pelo Brasil lançando Work (Trabalho), uma breve análise do trabalho no Capitalismo do século XXI.
Respondendo às várias ondas de levantes populares que invadiram os quatro continentes desde a Primavera Árabe, passando pelo movimento Occupy e os levantes de 2013 no Brasil, CrimethInc. convidou coletivos de uma dúzia de países para produzir um guia impresso introdutório ao anarquismo. O projeto Para Mudar Tudo (tochangeeverything.com ou paramudartudo.com) foi lançado em conjunto em mais de 30 línguas e distribuído gratuitamente. Por aqui, circulam quase 20 mil cópias da publicação impressa, utilizadas para atingir novos públicos interessados e movimentos anticapitalistas e até mesmo em escolas e centros sociais como forma de debater políticas anarquistas numa abordagem atual e de
fácil acesso. A nova turnê e os debates apresentados servem para dar continuidade a esse intercâmbio mundial sobre como vencer os limites democráticos à libertação das pessoas e do planeta e como resistir a um governo conservador eleito através do voto – mesmo contra a vontade da maioria das pessoas.  


27/06 -
19h

Lançamento e aula aberta:

“Como começar a ler Marx?”

A Casa Plana e a Boitempo Editorial convidam para o lançamento do livro "Marx e a crítica do modo de representação capitalista" de Jorge Grespan. O evento também contará com a aula aberta acerca do tema "Como começar a ler Marx?" com a mediação de Larissa Coutinho do podcast Revolushow.

No livro, o professor Jorge Grespan (USP) recupera o conceito de “modo de representação”, parte fundamental da crítica de Karl Marx à sociedade capitalista. Mediante uma análise filológica minuciosa, o autor restaura de maneira inédita o conceito e estabelece sua relação com o correlato mais conhecido, o “modo de produção” capitalista. O termo “representação” designa todo um conjunto de práticas econômicas e de percepções da realidade que culminam nas formas de distribuição do mais-valor analisadas no Livro III de O capital. Assim, a representação expõe e explica os processos de inversão executados pelo capitalismo e descritos por Marx em sua obra, que, não por acaso, começa pelo “fetichismo” da mercadoria e se encerra com a “fórmula trinitária”.

O evento é aberto ao público.

22/06 -
16h

Lançamento

“Mama:
relato de maternidade homoafetiva”

Uma noite, conversando no sofá, Marcela e Mel decidem ter filhos. Logo surge a dúvida: como um casal de mulheres faz para engravidar? Das muitas questões que surgem – qual das duas vai engravidar, como funciona um banco de sêmen, como fica o registro de nascimento, quanto a ausência de um pai pode prejudicar a criança – surge Mama: um relato da maternidade homoafetiva, que receberá um imperdível evento de lançamento na Casa Plana, numa data mais que especial: logo antes, acontecerá a Marcha das Mulheres Lésbicas e Bissexuais.

Buscando a resposta dessas e de tantas outras questões, Marcela Tiboni, mestra em história da arte e diretora de uma empresa de mediação cultural, banca e reflete sobre cada uma de suas escolhas, rompendo o tabu que hoje ainda cerca o amor lésbico e a gravidez entre mulheres para contar a história de sua família. Ao amamentar os filhos gêmeos, mesmo sem ter sido ela a mulher a gestar, Marcela literalmente peita, num perfeito equilíbrio entre força e delicadeza, os preconceitos e as intolerâncias da nossa sociedade.

O evento é aberto ao público.

7/06 a
9/06 -

Feira: Página Aberta

A Casa Plana participa pela primeira vez da Página Aberta, uma feira em que é possível se perder e encontrar o procurado, arquitetar o desconhecido, descobrir o que não sabemos; miríade de leitores e leituras junto a vastos saberes enredando-se.

Um livro é como um mundo. Uma biblioteca são muitos e um livro é um, mas ambos são a mesma coisa. Infinitas palavras, leituras e interpretações. Uma cena aberta também é algo do mesmo tipo, seja um espetáculo gigante, ou performance mínima. Esta feira acontece na intersecção entre estes dois mundos. Esta feira também é uma cena aberta onde será possível encontrar textos, imagens, livros, fanzines, cordéis, pôsteres, programas, etceteras que falem em várias línguas sobre autores, leitores, diretores, atores, performers, criadores de todas partes que sabem o mundo como cena aberta. O que eles sabem? O que eles podem? Do que eles falam? Como eles fazem? E o que silenciam?

O evento contará com lançamentos de textos novos, performances, oficinas, leituras que acontecem durante seus três dias. Não perca!


06/06 - 16h

Debate: “Medo da filosofia”

É possível escapar ao poder através do saber? Eduardo Pellejero, filósofo, professor de estética na UFRN e autor de "O que vi: diário de um espectador comum" vem à Casa Plana para discutir filosofia, em seu gesto tão paradoxal de suspensão: abre o pensamento para o que é, mas também ao que não é e poderia ser.
Se existem modos de desligar o crescimento das nossas capacidades da intensificação das relações de poder, um desses modos passa necessariamente pela filosofia – pela filosofia pensada, não como sistema de pensamento, mas como modo de cuidar de si e dos outros, isto é, de colocar-se em causa a si e aos outros, sem imagens de um objeto ou um fim a atingir.

Só isso devia ser suficiente para que defendêssemos a filosofia com a mesma convicção com que defendemos a democracia. Urge retomá-la.

O evento é gratuito e aberto ao público.




01/06 - 16h

Debate: “Tiqqun”

A Casa Plana receberá intelectuais militantes ligados à causa libertária para discutir a atualidade urgente do livro Contribuição para a guerra em curso, a partir de uma questão premente: terá a esquerda enterrado a revolução enquanto processo, irreverência, criação de mundo? A mesa contará com Acácio Augusto, da UNIFESP; Camila Jourdan, da UERJ; Jonnefer Barbosa, da PUC-SP; e Vinivius Honesko, da UFPR.

Publicado pela primeira vez em 1999 na revista francesa Tiqqun, o texto Contribuição para a guerra em curso é um libelo cáustico e demolidor que, incorporando referências históricas e intelectuais, resulta em uma análise que funciona como metralhadora giratória, sem concessões, até uma conclusão necessária ao nosso Brasil de hoje: vivemos uma guerra civil entre formas de vida, uma militarização do enfrentamento político, onde um fascismo tenta suprimir as formas que não obedeçam a um padrão masculino, branco e heteronormativo.




29/05 - 19h

Lançamento: “Corpo Presente”

 Nos últimos anos, o fotógrafo Felipe Avila frequentou as manifestações, atos, festas, carnavais e outros rituais nas ruas de São Paulo. Paulistano, há 37 anos vivendo na cidade, fotografou a manifestação dos corpos e suas lutas de autoafirmação. Entre corpos desejantes nos apresentando uma nova linguagem, segundo Felipe, “a publicação pretende manter essas manifestações vivas para além de qualquer esforço repressivo. Há muita força na fragilidade desses corpos invisibilizados e acredito que é dessa fragilidade que nasce a revolução.” O resultado é o livro-obra Corpo Presente, que ganha, após um bem-sucedido processo de crowdfunding, seu lançamento.

No dia do lançamento o autor do livro debaterá sobre biopolítica, uso do corpo na luta atual e o contexto em que as fotos foram feitas com Carminda Mendes André e Guilherme Teixeira.

O evento é gratuito e marca o lançamento do livro. 

25/05 - 19h

Lançamento: “Diário de um escritor na Rússia”

 O novo livro de Flávio Ricardo Vassoler foi escrito, entre junho e julho de 2018, durante a Copa do Mundo na Rússia. O autor viajou por dez cidades que receberam jogos do torneio — Moscou, Níjni Novgorod, Kazan, Saransk, Samara, Volgogrado, Rostov-sobre-o-Don, Sotchi, Kaliningrado e São Petersburgo —, e os textos (ficções e ensaios, histórias e estórias) iam sendo publicados, diariamente, no site da revista "Veja".

Durante o lançamento, haverá um debate entre o escritor, o jornalista Fábio Altman, editor-chefe da revista "Veja", e o professor e tradutor Henrique Canary, mestre em História pela Universidade Russa da Amizade dos Povos e doutorando em Cultura Russa pela FFLCH-USP. Fábio e Henrique são autores, respectivamente, do prefácio ("De futebol e letras") e do posfácio ("O que que a Rússia tem?") do "Diário de um escritor na Rússia".


18/05 - 16h

Lançamento: “Vale a Pena Ver De Novo”

Como a Rede Globo explora o conteúdo que ela produz para o cinema, e de que forma ela influenciou o audiovisual brasileiro nos últimos 20 anos? Este é o tema do livro "Vale a pena ver de novo?", escrito pela prof. Dra. Juliana Sangion, que estará na Casa Plana no dia 18 de maio, para fazer uma reflexão sobre o superaproveitamento de conteúdos e o papel dos meios de comunicação.

"A criação da Globo Filmes e seu modelo de negócios teve forte impacto na produção cinematográfica nacional", explica a autora. "Investigar essa situação após duas décadas é crucial para discutir a circulação de narrativas dominantes em uma indústria tão concentrada como a do audiovisual”.

Para Juliana, “o tema estimula a refletir sobre o papel dos meios de comunicação e das indústrias do entretenimento nas disputas culturais e ideológicas, e a pensar novas possibilidades e alternativas na produção de bens simbólicos”.

Depois de sua apresentação, a autora fará uma sessão de autógrafos.


10/05 - 19h

Lançamento: Revista Urdume

A Casa Plana convida para o lançamento do segundo volume da Revista URDUME, que, nesta edição, traz matérias, artigos e entrevistas que evidenciam o uso das artes manuais têxteis nos diferentes espaços. Da casa ao museu, as artes manuais têxteis se reinventam como potência em diferentes ambientes e utilizações.


URDUME é uma revista independente sobre artes manuais têxteis, expressão e autoconsciência, de periodicidade trimestral. O evento contará com um bate-papo descontraído e aberto ao público entre Cristiane Bertolucci, Anne Galante e Estefania Lima, nomes proeminentes daexpressão têxtil.

O evento é aberto ao público e marca o lançamento do livro.


09/05 - 19h

Lançamento: “Corpo-história e resistência libertária”, de João da Mata e Juniele Rabêlo

João da Mata e Juniele Rabêlo de Almeida convidam para o lançamento de Corpo-história e resistência libertária. Dia nove de maio às 19 horas, na Casa Plana, os organizadores do volume se juntam a Edson Passetti, que assina um dos ensaios do volume, para um bate-papo entre si e com o público.

O livro se abre para os debates que entrecruzam “Corpo e História” a partir dos eixos “analítica do poder e cultura libertária” e “narrativa e memória da resistência”. São discutidas as posições que ignoram ou minimizam o papel do corpo na constituição, entre tempo e narrativa, do saber histórico. A obra reúne pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, possibilitando leituras interdisciplinares sobre as dimensões do corpo entre memórias e resistências. Cada capítulo confirma que ainda há muito para se discutir a respeito do corpo na História.

O evento é público e aberto ao público e marca o lançamento do livro.



27/04 - 16h

Lançamento: “2013: memórias e resistências”, de Camila Jourdan

2013: memórias e resistências (Editora Circuito) veio na esteira dos manifestações que tomaram as ruas em 2013. Testemunha ocular dos acontecimentos, presa, perseguida política e hoje condenada pela Justiça do Rio de Janeiro, a autora, Camila Jourdan, faz um recorte anarquista das suas memórias das chamadas "jornadas de junho", quando as contestações pelo aumento nas tarifas do transporte público seguiram um processo de propagação viral como a Primavera Árabe e o Occupy Wall Street.

No dia 27 de abril, sábado, às 16 horas, a autora participará de um debate na Casa Plana ao lado de Acácio Augusto Jr. Durante o evento, Camila comentará temas abordados no livro como o ativismo político, a resistência ao governo, suas memórias dos combates e da prisão, bem como a atualidade de valores como representatividade e participação direta nos movimentos sociais.

O evento é gratuito, aberto ao público e marca o lançamento do livro.

26/04 - 20h

Lançamento: “A experiência da língua”, de Giorgio Agamben

Em maio de 1990, Giorgio Agamben fez uma conferência no colóquio “Lacan avec les philosophes”, organizado pelo Collège International de Philosophie de Paris, para a qual deu o título Experimentum Linguae – L’expérience de la langue (em português, A experiência da língua). A conferência permaneceu inédita até 2018, quando foi publicada pela primeira vez no mundo pela Editora Circuito, em edição bilíngue, com tradução de Cláudio Oliveira.

Este, portanto, é um livro especial: além de se tratar de um texto inédito, é também uma edição especial, numerada a mão, de 600 exemplares. Os textos em francês e em português são impressos num folder dobrado e depois colocados num envelope que funciona como capa e contracapa do livro, que será lançado no dia 26 de abril, a partir das 20 horas, na Casa Plana (Rua Fradique Coutinho, 1139).

"Trata-se de um livro-objeto que imita a edição de um outro pequeno texto do Agamben que foi publicado em 1982 pela Le Nouveau Commerce, em Paris, que se chama 'La fine del pensiero', 'La fin de la pensée'", diz Cláudio Oliveira.

No lançamento, o tradutor estará presente para um debate com Christian Dunker sobre a importância deste ensaio escrito por um dos filósofos mais importantes da atualidade, cujo pensamento perpassa o contemporâneo e os conceitos de estado de exceção e homo sacer.

Entrada gratuita.


25/04 - 19h

Lançamento: “Teoria do design gráfico” e conversa entre designers

O estudo do design gráfico ganha uma robusta contribuição com o lançamento deTeoria do design gráfico, uma obra inovadora que coloca sob uma perspectiva histórica a produção de 24 protagonistas da teoria mas também da prática do design, como Aleksandr Ródtchenko, El Lissítzki, Jan Tschichold, Herbert Bayer, Paul Rand, Wolfgang Weingart, Catherine McCoy e Paula Scher.

E, se o design gráfico é a comunicação visual de uma ideia, seria natural que a forma do livro se articulasse ao seu conteúdo: organizados cronologicamente desde escritos combativos do início do século XX até debates contemporâneos, os ensaios de Teoria do design gráfico vêm acompanhados de uma contextualização histórica de cada texto; e a capa, que se abre numa faixa de quase um metro, é uma linha do tempo que localiza o ano de cada texto e o tempo de vida de cada autor, evidenciando as convivências e sobreposições.

O evento de lançamento contará com uma conversa mediada por Tereza Bettinardi entre cinco profissionais destacados da área - Daniel Trench, Elisa von Randow, Flávia Nalon, Paulo André Chagas e Rico Lins, que comentarão cinco textos do livro relacionando-os as suas obras.

Gratuito e aberto ao público.


24/04 - 18h

Lançamento: “CORRERIO” +
A-MIG

 
O A-MIG é uma plataforma nômade que transmite mixtapes e experimentos sonoros de artistas emergentes brasileiros e estrangeiros.

CORRERIO é uma espécie de fanzine de crítica e sátira política e artística. A publicação é fruto do Projeto Preterível, residência realizada em Florianópolis, em dezembro de 2018, e da pesquisa que vasculhou o Arquivo Abreviado – uma coleção de mais de 300 itens vinculados à prática artística editorial das últimas 5 décadas sobre os quais há pouca ou nenhuma produção crítica. CORRERIO inclui trabalhos de Clemente Padín, Daniel Sepúlveda, Giancarlo Lorenci, Ivi Maiga Bugrimenko, Jhoel Zempoalteca, Melissa Dullius, Ruth Wolf-Rehfeldt, dentre outros artistas e a edição é de  Jorge Bucksdricker e Leonardo Felipe.

Nessa edição participarão os artistas BEX, EM EXTINÇÃO e G-PAIM convidados do A-MIG e o zine CORRERIO, além de estar em lançamento na data, será distribuido gratuitamente aos convidados.


O evento é gratuito e aberto ao público.

17/04 - 19h

Lançamento: “Folie à deux”, de Felipe Abreu

Três jovens casais são assassinados por um mesmo homem. Desta dura investigação, ficam imagens feitas pela polícia, trechos de vídeos da cobertura da mídia e poucos textos: anotações dos detetives e pequenos bilhetes deixados pelos jovens apaixonados. Durante um ano os locais ligados a estes crimes foram visitados, fotografados e se desenrolou a tentativa de entender o que tinha acontecido ali. Ao longo desta jornada foram encontradas imagens sugestivas, que ajudam a construir este clima de mistério e dor, mas estarão elas ligadas diretamente a estes terríveis crimes?

No dia 17 de abril, quarta-feira, a partir das 19 horas, o fotógrafo Felipe Abreu fará uma incursão no processo criativo de seu mais recente trabalho: Folie à Deux, fotolivro que investiga uma série de seis assassinatos cometidos no começo dos anos noventa. A publicação apresenta fotografias de arquivo, imagens contemporâneas e pequenos textos ligados a estes misteriosos crimes.

No evento - que marca o lançamento da obra - Felipe Abreu participará de uma conversa com Gabriela Castro e Antonio Xerxenesky, passando por temas como a verdade e a mentira dentro da ficção. Gratuito e aberto ao público, o debate começa a partir das 19h e propõe (assim como o livro) uma investigação sobre os mundos construídos através de fotografias.

13/04 - 16h

Lançamento e contação de histórias: “Minhas duas avós”, de Ana Teixeira

Minhas duas avós conta a história de duas avós muito diferentes que vivem juntas na Casa das Formigas. A partir de suas vivências e com ilustrações de dois de seus netos, a autora e artista visual Ana Teixeira cria um universo lúdico com imagens de avós que todos nós gostaríamos de ter.

No dia 13 de abril, sábado, a partir das 16 horas, Ana Teixeira estará presente na Casa Plana para uma contação de história e oficina de desenho voltada para o público infantil (a partir de 4 anos).

Além da narração, a artista visual e performer proporá às crianças e adultos presentes uma atividade feita a partir da pergunta “quem é igual, afinal?”. Aos participantes será proposto pensar sobre o tema por meio de perguntas que serão sorteadas entre eles. As respostas virarão desenhos e também tema de conversa.

12/04 - 19h

Leitura cênica: “A mulher que caiu do céu”, com Conexão Latina de Teatro

O enredo de A mulher que caiu do céu (peça escrita por Victor Ráscon Banda) gira em torno da uma mulher idosa descoberta revirando latas de lixo no sul dos Estados Unidos. Por não compreenderem sua língua, policiais a conduzem para uma clínica psiquiátrica. Lá ela fica por quase uma década, passando por diferentes tratamentos extremamente invasivos e violentos. Originária dos grupos indígenas mexicanos rarámuris Rita, a indígena, luta para ser compreendida diante de todo o aparato repressivo que a circunda.

No dia 12 de abril, sexta-feira, a partir das 19 horas, o coletivo Conexão Latina de Teatro fará uma leitura cênica desta peça que discute temas como imigração, preconceito e tratamentos psiquiátricos.

Gratuita e aberta ao público, a apresentação traz para o palco o drama real dos povos latino-americanos.

SOBRE O COLETIVO

O grupo Conexão Latina de Teatro tem como principal mote pesquisar e encenar peças latino-americanas que permitam refletir sobre nossas raízes históricas, assim como aprofundar nosso conhecimento sobre as diversas lutas dos povos deste continente.

Formado por Tobias Vilhena, Kátia Klassen, Maria Kowales, Juan Cusicanki, Júlio Caio, Renata Bar e Fábio Lacerda, é dirigido por Hugo Villavicencio.


11/04 - 19h

Lançamento Revista Corner #8 e documentário “Ultima Final”

Duas caras de uma sociedade. Duas faces do futebol. Dois lados extremos de uma capital. A América do Sul vivia uma decisão do seu torneio mais importante de clubes com as duas maiores torcidas da Argentina envolvidas. Fernando Martinho acompanhou torcedores, as festas, as batalhas campais entre polícia e vândalos. O lado de fora, o que não se vê, o por trás das câmeras, tudo tão perto e tão longe do jogo. Última final é um filme que conta como um jogo sonhado por todos se tornou um pesadelo para jogadores, torcedores, dirigentes, jornalistas e autoridades. É o retrato de um continente doente cujas relações passionais negligenciam o básico e a solução será matar a essência e alma do torneio sul-americano que teve a sua última final de ida e volta em outro continente, num caminho só de ida, sem volta, pois as medidas tomadas sepulcram não só o corpo, mas também o espírito do futebol da América do Sul.

05/04 - 19h

Aula aberta: “Transformações do capitalismo”, com Luiz Gonzaga Belluzzo

As transformações que a globalização causou na estrutura econômica mundial costumam ser apresentadas como processos desconexos, fora de seu contexto macroeconômico.

Entre os fatores que impulsionaram sua expansão estão o crescimento contínuo dos fluxos brutos de capitais para o mercado americano, a migração da produção manufatureira para países subdesenvolvidos, a nova distribuição espacial da produção globalizada e a precarização do trabalho.

Como as economias centrais estão lidando com essa questão? E que efeitos o esgotamento do último ciclo de euforia global têm sobre a formação de renda na economia como um todo?

Esse é o tema da aula aberta com o professor Luiz Gonzaga Belluzo, economista, professor titular da Unicamp e autor dos livros "Manda quem pode, obedece quem tem projuízo" e "O tempo de Keynes nos tempos do capitalismo", publicados pela Editora Contracorrente.

A apresentação começa a partir das 19 horas e tem entrada gratuita.

30/03 - 19h

Plana + Rolo Seco Gig 12 - Sergej Vutuc

Nascido em Doboj, antiga Iugoslávia, o artista Sergej Vutuc vive atualmente em Berlim, Alemanha, e Rakalj, Croácia. Seu trabalho consiste em observar o superdesenvolvimento da sociedade moderna: privatização dos espaços públicos, dominação da natureza pelo concreto e a conquista subversiva do concreto pelo skate. Baseado em um movimento nômade através do tempo e do espaço, cria um senso eterno de mobilidade ao explorar a existência entre cidades, países, fronteiras, mundos etc.

No dia 30 de março, Sergej Vutuc estará na Casa Plana, a partir das 19h horas, com sua exposição "Touch, rites of mirrow hidden in gravity". O evento terá ainda o lançamento de uma série limitada de discos do artista no Rolo Seco Gig 12, misturando música e arte original, as duas facetas do artista.

Os shows serão de i2terzon3, Acavernus, ACruz Sesper Trio e Tascam, bem como do próprio Sergej Vutuc.


26/03 - 19h

Lançamento: “Indústria cultural e reflexão”, de Manuela Monti


Indústria cultural e reflexão, de Manuela Monti, apresenta um estudo sobre as contradições da indústria cultural e procura ilustrá-las por meio de uma análise dos estudos sobre a indústria cultural no Brasil e de projetos de resgate do samba de raiz e arte popular que se consideraram resistentes a ela.

No dia 26 de março, terça-feira, a autora estará na Casa Plana para fazer uma apresentação seguida da leitura de trechos da obra.

23/03 - 16h

Debate: Pasolini, o intelectual e a política de nosso tempo


Este livro surge não como uma celebração de Pier Paolo Pasolini e tampouco como um lamento pela perda brutal do poeta que tanto ainda teria intervindo no mundo. Pelo contrário, a ideia deste livro é tomar Pasolini como um amigo, como alguém com quem ainda seja possível conversar.

No dia 23 de março, a partir das 16 horas, Vinicius Nicastro Honesko fará o lançamento de Pier Paolo Pasolini - estudos sobre a figura do intelectual ao lado de Maria Betania Amoroso, Jonnefer Barbosa e Acácio Augusto, com os quais fará um debate sobre a figura de Pasolini e a política de nosso tempo.

Com entrada gratuita, o livro está sendo lançado pela editora Intermeios.

22/03 - 19h

Lançamento: “Textos do eu outro”, de E. M. de Melo e Castro


No dia 22 de março, a partir das 19 horas, o autor estará na Casa Plana para uma conversa com Horácio Costa e Ana Cristina Joaquim sobre o lançamento. No evento serão lidos alguns trechos da obra, sendo que no final será realizada uma sessão de autógrafos.


21/03 - 19h

Lançamento: “Acontecimento da poesia”, de Fernando Paixão


Em Acontecimento da poesia (Editora Iluminuras), o poeta Fernando Paixão compartilha uma série de textos escritos nas três últimas décadas, sob diferentes demandas, incluindo um depoimento sobre José Paulo Paes, um testemunho sobre livro de Alfredo Bosi, além de fecunda reflexão sobre as relações poéticas entre Brasil e Portugal e comentários sobre escritores como Vinicius de Moraes, Rubens Rodrigues Torres Filho, Georges Bataille, Mário de Sá-Carneiro, entre outros, contemplados com uma reflexão aguda. Na parte seguinte, é o próprio autor quem apresenta seu universo lírico, por meio de um depoimento e uma entrevista.

No dia 21 de março, a partir das 19 horas, o livro será lançado na Casa Plana, ocasião em que será realizada uma conversa com o poeta, tradutor e professor da USP Álvaro Faleiros.

15/03 - 19h

Lançamento: Lugar de negro, lugar de branco?


Lugar de negro, lugar de branco? Esboço para uma crítica à metafísica racial busca desmistificar a naturalização do lugar da raça na discussão moderna e de sua força instituinte: a escravidão moderna. Com forte alicerce em uma leitura crítica de Frantz Fanon, o ensaio, escrito por Douglas Rodrigues Barros, repensa o identitarismo que ganha espaço nas militâncias ao relacioná-lo com a procura mística de uma África que, historicamente, é indissociável do processo de produção capitalista.

14/03 - 20h

Lulina na Casa Plana


Desde o seu último lançamento, a k7 caseira Na Moita (2016), Lulina estava abduzida, criando e produzindo seu mais novo disco, que será lançado muito em breve pela gravadora Yb. Nesse pocket show mais intimista, ela nos mostra pela primeira vez algumas dessas novas canções, em meio a drinks refrescantes, no clima de happy hour da Casa Plana.

O evento começa a partir das 20h e tem entrada franca.

12/03 - 19h
Lançamento + pocket show do duo Los Pajaritos


Morro trapoeraba é o primeiro romance de Lourenço Lima, que conta a história de Alexandre, um personagem que cresce no campo sentindo o peso da trama social sobre as suas costas. Na busca pelo caminho "certo", dificuldades atravessam o seu destino e fazem com que ele questione a ordem das coisas.

No dia 12 de março, às 19 horas, o autor do livro, lançado pela deep editora, estará presente para uma conversa com Antonio Sobral, editor, que fará a leitura de alguns trechos do romance No final do evento será realizado um pocket show do duo formado por Antonio Sobral e Antonio Farinaci, marcando o lançamento do vinil Los Pajaritos.

07/03 - 19h

Documentário: A paixão de JL


O documentário A Paixão de JL, de Carlos Nader, conta um pouco da história do artista plástico José Leonilson Bezerra Dias, um dos principais nomes da arte brasileira contemporânea. Sua obra predominantemente autobiográfica e intimista trata de temas como a existência, o sentimento, a angústia e a convivência com o AIDS, doença que fez com que o artista falecesse jovem, aos 36 anos de idade, deixando cerca de 4 mil obras e múltiplo acervo documental que em muitos sentidos retratam a geração dos anos 1980.


26/02 - 19h

Clube de Leitura Folha: O anjo silencioso, de Heinrich Böll


No dia 26 de fevereiro, terça-feira, às 19 horas, o Clube de Leitura Folha se reúne para discussão da obra do mês: O anjo silencioso (Editora Estação Liberdade), de Heinrich Böll, primeiro romance do Prêmio Nobel de 1972.
O clube é uma roda de conversa, sem um palestrante. Trata-se de reunir um grupo de leitores, com igual direito à palavra, para discutir um livro que leram ou que estão lendo.

22/02 - 19h

Lançamento:
A sociedade de controle


Nas sociedades de controle, conectadas por tecnologias cibernéticas, principalmente pelas redes digitais, emergiram as plataformas de relacionamento online como intermediárias de uma série de interesses, afetos e desejos das pessoas.

“A sociedade de controle: manipulação e modulação nas redes digitais" (Editora Hedra) traz reflexões, à luz de pensadores como Gilbert Simondon, Félix Guattari, Gilles Deleuze e Michel Foucault, sobre o conceito de modulação e será lançado no dia 22 de fevereiro, sexta-feira, a partir das 19 horas, na Casa Plana.

20/02 - 19h

Lançamento:
O renascimento do autor


No dia 20 de fevereiro, quarta-feira, a partir das 19 horas, o professor e pesquisador Caio Gagliardi fará o lançamento do seu livro mais recente, "O renascimento do autor: autoria, heteronímia e fake memoirs" na Casa Plana. Durante o evento, será realizado um debate com o poeta e tradutor Marco Catalão sobre os múltiplos enfoques do livro, que é um estudo a respeito do moderno conceito de autoria.


19/02 - 19h

Lançamento: MEA CULPA, de Aldo Urbinati


Entre 16 de junho de 2018 e 2 de fevereiro de 2019, o Estúdio Tupi ajudou a construir a nova sede da Uniflex Cidade Jardim, dentro do edifício da loja Forma, projeto originalmente criado em São Paulo por Paulo Mendes da Rocha. 30 anos após sua inauguração, o edifício ainda se encontrava vazio quando o arquiteto Aldo Urbinati assumiu a proposta de repaginação do espaço, que hoje chama atenção pela sua ousada fachada vermelha inspirada na Bauhaus.


18/02 - 19h

A-MIG Transmissão com BOCA DE CABELO e Objeto Amarelo


O A-MIG é uma plataforma nômade que transmite mixtapes e experimentos sonoros de artistas emergentes brasileiros e estrangeiros.
Até o momento, mais de 80 DJs e produtores de todos os cantos do Brasil e do mundo já participaram do canal, entre eles artistas mais estabelecidos da cena e outros com menos visibilidade, descobertos nas profundezas da internet. Entre os convidados, estão produtores emergentes brasileiros e de países como Grécia, Chile, Romênia, Austrália, Argentina, Venezuela entre outros também contribuíram para o projeto.

16/02 - 16h20

Lançamento:
Pandemia - LUTA


"Quando o presente político parece bloqueado, é preciso ter a coragem de atravessá-lo", diz o texto do box da Série Pandemia - LUTA, publicado pela editora n-1 e tema de uma conversa que ocorre no dia 16  de fevereiro, a partir das 16h20, com Péter Pal Pelbart, Giselle Beiguelman e Jonnefer Barbosa.

Ácidos, provocadores e insurgentes, os 12 cordeis que compõem o box foram publicados em 2018, com o objetivo de sondar as reviravoltas em curso e as insurgências do porvir. Publicados com capas estampadas manualmente, através dos mais variados processos, "cada cordel é como um bacilo de pensamento, pronto para contaminar o entorno e abrir no mundo uma fresta singular".

09/02 - 16h

Debate:
A violência com o Brasil


A violência no Brasil será o tema do debate que ocorre no dia 9 de fevereiro, sábado, entre o fotojornalista André Liohn, o jornalista e pesquisador Bruno Paes Manso (autor do livro "A guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil", da Editora Todavia) e o psicanalista Luís Marra (autor do livro "Crônicas do crack", publicado pela Editora Hedra). No evento, que ocorre a partir das 16 horas, serão discutidas as propostas de combate ao crime e as políticas sociais sugeridas pelos novos governos federal e estaduais. Entrada livre.

André Liohn, natural de Botucatu (SP), é um dos fotojornalistas mais proeminentes da atualidade. Tendo se mudado ainda jovem para o exterior, Liohn se especializou na fotografia de conflitos bélicos, especialmente no Oriente Médio. Por seu trabalho na guerra civil da Líbia, recebeu, em 2012, o prestigiado Robert Capa Gold Medal, prêmio dado a trabalhos de alta periculosidade. Atualmente, Liohn se divide entre o Brasil e o resto do mundo, contribuindo para diversos jornais e revistas, embora também continue seu trabalho na Líbia através do ADIL – Almost Dawn in Libya, projeto que reúne vários outros nomes do fotojornalismo.

Bruno Paes Manso é cientista político, economista e jornalista. Com foco na estrutura da violência dentro da sociedade civil, é autor dos livros “O homem X: uma reportagem sobre a alma do assassinato de São Paulo” (2005), “Homicide in São Paulo: An Examination of Trends from 1960-2010” (2016) e “A Guerra: A ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil” (2018). Vinculado ao Núcleo de Estudos da Violência da USP, onde realiza pesquisa de pós doutorado, Bruno estuda homicídios, confiança institucional e legitimidade.

Luís Marra, médico psiquiatra e autor, trabalha a mais de quinze anos com dependentes químicos. Publicou os livros “Diário Perdido do Jardim Maia” (2008), “O coletivo aleatório” (2009) e “Crônicas do Crack” (2017). O contato com zonas de alta incidência de usuários, como a Cracolândia e as periferias da Zona Leste de São Paulo, deram substrato para seu trabalho como colhedor de histórias. As vidas marginais aparecem em seus livros na forma de relato pessoal e crônica, impactando pela crueza e pelo quadro maior de saúde pública que se esboça.

30/01 - 19h

III Sarau e Roda de Conversa do Malfas Ocupação


Nesta terceira edição do Sarau + Roda de Conversa do Malfas Ocupação, recebemos o historiador Cristiano Abreu e a psicóloga e psicoterapeuta Cássia Betânea para dois debates: o primeiro, sobre a relação entre as políticas econômicas brasileiras pós-golpe e a dinâmica do capital internacional e o segundo, sobre os desafios no atendimento às populações vulneráveis na rede pública paulista. "Hegemonia em disputa: projetos políticos e questão nacional" e "Violência e resistência: reflexões sobre a dinâmica da saúde pública" serão os seus respectivos títulos. A estrutura do evento é a seguinte: poesia e música na abertura e falas seguidas de discussão. Sarau com participação livre. Todo mundo é bem-vindo.

21/12 - 19h

 Rosa Luxemburgo: pensamento e ação, 100 anos após seu assassinato

Janeiro de 2019 marca o centenário de assassinato de Rosa Luxemburgo, revolucionária polonesa-alemã e uma das maiores pensadoras do século XX. Boitempo, Edições Iskra, Fundação Rosa Luxemburgo e Casa Plana convidam para debate sobre o legado de Rosa, com a participação de Isabel Loureiro, Diana Assunção e Larissa Coutinho (podcast Revolushow). 

   

21/12 - 19h

Lançamento: Coleção Mundo Indígena


Publicados pela Editora Hedra, os três novos livros da Coleção Mundo Indígena trazem relatos imersivos e inspiradores sobre a cultura e os ritos de três povos distintos. No dia 21 de dezembro, a Casa Plana recebe os autores Danilo Paiva Ramos (Círculos de coca e fumaça), Dominique Tilkin Gallois (Nas Redes Guarani), Valéria Macedo (Nas Redes Guarani) e Uirá Garcia (Crônicas de caça e criação) para uma conversa sobre antropologia, a mobilidade dos coletivos guarani, experiências compartilhadas e os efeitos da modernidade sobre o mundo indígena.

19/12 - 19h

Jornal de Borda: campanha para o financiamento coletivo


No dia 19 de dezembro, às 19 horas, o Jornal de Borda estará na Casa Plana. A atividade será dividida em dois momentos. Na primeira parte, a artista e editora do Jornal de Borda, Fernanda Grigolin, vai contar a história do projeto e falar da campanha de financiamento coletivo do periódico, que foi lançado pela primeira vez em março de 2015 em uma das edições da Feira Plana e já está indo para o seu sexto número. Na segunda parte da atividade, a artista Andrea Mendes, a curadora Beatriz Lemos e a escritora Cecília Floresta falarão sobre como estão planejando suas participações para o próximo Borda.

15/12 - 15h

Desentrevistas #1: Yara Kono e Renata Simões


Yara Kono estudou farmácia na UNESP, mas logo seus desenhos de organelas revelaram um talento inato para as artes plásticas e gráficas. Ao ser aceita para estudar Design como bolsista no Japão, deslanchou com ilustrações inventivas e apaixonantes. Em 2004, passou a integrar o então ateliê Planeta Tangerina, que mais tarde se transformaria em editora, e deu continuidade a uma carreira promissora, ganhando prêmios de reconhecimento internacional como o Bissaya Barreto de Literatura para a Infância. Atualmente, Yara mora em Portugal.

Renata Caldas Simões  é jornalista e apresentadora de televisão brasileira.
Formada na PUC de São Paulo, apresentou o Urbano, exibido semanalmente no canal de televisão a cabo Multishow às noites de quintas-feiras. Seu primeiro trabalho na televisão foi para a série Planeta Oceano, no canal GNT, com o mergulhador Lawrence Wahba; depois foi repórter do site iMusica, e depois no programa Vídeo Show, da Rede Globo. Chegou ao Multishow para apresentar a agenda cultural Revista Programe-se. Atualmente, ela é contratada pelo canal pago Fashion TV.

13/12 - 20h

Corner #7:
os 50 anos do AI-5


No dia 13 de dezembro, às 20 horas, Fernando Martinho (editor da revista Corner) mediará o debate que contará com as presenças dos jornalistas Juca Kfouri e José Trajano.

Com entrada gratuita, o evento faz parte da campanha de divulgação da edição #7 da Corner que traz na capa Reinaldo, ex-jogador do Atlético Mineiro, símbolo de resistência à ditadura militar no final dos anos 70. A sétima edição também fala sobre a Democracia Corinthiana e o futebol na União Soviética.

11/12 - 19h

Debate: Spartakus e as revoltas do presente


“Spartakus” é um dos livros mais potentes da ensaística italiana, e seu autor, Furio Jesi (1941-1980), um dos prediletos de Giorgio Agamben. Nesta obra, que vai muito além da história do movimento espartaquista, a revolta implica uma imediata suspensão do tempo histórico - assim, revolta e revolução se contrapõem.

O livro - que permaneceu oculto por muito tempo - passa por diversos temas e autores como Rosa Luxemburgo, Dostoievski, Storm, Brecht e Thomas Mann. Publicado pela editora n-1, ele será lançado na Casa Plana no dia 11 de dezembro, terça-feira, às 19h, com participação de Acácio Augusto e Jonnefer Francisco Barbosa (autor do ensaio-cordel “Novos espartaquismos”).

10/12 - 19h

Roda de conversa: a promiscuidade no campo das ideias



O amor que os grandes filósofos reivindicam muitas vezes é demasiado excludente ou possessivo. Ou um ou outro. Ou Badiou ou Negri. Ou Agamben ou Butler, etc. É preferível o amor livre ou uma certa promiscuidade teórica. Em outras palavras, poder estar com vários de uma vez, tocar sem medo e nos reapropriarmos de seus conceitos, fazendo combinações inéditas e, sobretudo, pensando a partir de nossas próprias necessidades, da nossa própria biografia e trajetória, das perguntas que as situações de vida que atravessamos nos colocam.

O evento é gratuito, aberto ao público e começa a partir das 19 horas.

05/12 - 19h

II Sarau e Roda de Conversa do Malfas Ocupação


Nesta segunda edição do Sarau + Roda de Conversa do Malfas Ocupação vamos receber a historiadora Suzy Muniz, refletindo sobre a "Diversidade marginalizada em tempos de retrocesso". Já a linguista e YouTuber Jana Viscardi palestrará sobre "Linguagem e feminismos em tempos digitais". A estrutura do evento é a seguinte: poesia e música na abertura e falas seguidas de discussão. Sarau com participação livre. Todo mundo é bem-vindo.




04/12 - 19h

A-MIG Transmissão com Kakubo, Raquel Krügel e WHITE PRATA


O A-MIG é uma plataforma nômade que transmite mixtapes e experimentos sonoros de artistas emergentes brasileiros e estrangeiros.
Até o momento, mais de 80 DJs e produtores de todos os cantos do Brasil e do mundo já participaram do canal, entre eles artistas mais estabelecidos da cena e outros com menos visibilidade, descobertos nas profundezas da internet. Entre os convidados, estão produtores emergentes brasileiros e de países como Grécia, Chile, Romênia, Austrália, Argentina, Venezuela entre outros também contribuíram para o projeto.


03/12 - 19h

Ação + lançamento: Para que algo aconteça


No dia 3 de dezembro, às 19 horas, a Casa Plana recebe a artista Ana Teixeira para o lançamento da sua retrospectiva “Para que algo aconteça”.  O livro reúne um conjunto significativo de trabalhos dos últimos vinte anos de sua trajetória, dando visibilidade a uma produção múltipla, composta por ações e intervenções em espaços públicos, desenhos, esculturas, instalações e vídeos. Editado pela artista e por Josué Mattos, historiador da arte e curador, o livro foi produzido de forma independente e contém textos críticos de Cauê Alves, Claudia França, Galciani Neves, Paula Alzugaray e Paula Braga.
No lançamento será realizada a ação "Outra Identidade", na qual um carrinho-escritório ambulante, contendo carteiras de identidade fabricadas pela artista, são distribuídas às pessoas interessadas em troca de suas impressões digitais. No lugar de números, fotos ou nomes, Outra identidade sugere frases.

05/11 - 19h

Lançamento:
A uruguaia



Dia 5 de novembro, o autor argentino Pedro Mairal lança “A uruguaia” (Editora Todavia) em evento com bate-papo com o escritor Antonio Prata, seguido de sessão de autógrafos.


29/10 - 20h

Lançamento: Coleção Trás-os-mares



A Coleção Trás-os-mares traz cinco romances inéditos no Brasil de grandes prosadores portugueses contemporâneos. Tratam-se dos romances “A loucura branca”, de Jaime Rocha; “Noturno europeu”, de Rui Nunes; “Até o ano que vem em Jerusalém”, de Maria da Conceição Caleiro; “Adoecer”, de Hélia Correia; e o livro de narrativas breves “Éter”, de António Cabrita.
São histórias que, com os traços estilísticos peculiares de cada autor, mobilizam alguns temas narrativos comuns: a memória individual e a memória coletiva, os rumos da civilização, a morte, o surreal, o passado cruel das nações.

25/10 - 19h30

Bate-papo sobre “Nuvens” na Casa Plana



Casa Plana e Editora 34 convidam para a leitura de poemas e bate-papo sobre o livro "Nuvens", de Hilda Machado.
O evento contará com a participação de Ricardo Domeneck (organizador) e Cide Piquet (editor).

25/10 - 21h

Poemas pela democracia



Elogio à tortura, ameaça aos direitos sociais e as minorias, incremento do racismo, da homofobia, da violência, escola sem partido e sem pensamento, congelamento dos investimentos em saúde e educação, intolerância religiosa, destruição ambiental. Como seguir considerando democráticos os tempos em que vivemos? As instituições seguem funcionando, as eleições continuam diretas, mas a mentira se alastra, nas redes e nas ruas, e o medo, a desesperança...
Às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais, a poesia vem dar as caras, chamar para a luta, conclamar à liberdade. Ao longo de duas horas, mais de três dezenas de poetas, professores, leitores de poesia vêm a público defender os valores democráticos.

22/10 - 19h

“Conhecidos de Vista", de Letícia Lampert: lançamento + bate-papo



A Editora Incompleta e a Casa Plana convidam para o lançamento do terceiro livro da artista visual Letícia Lampert, "Conhecidos de Vista".
A partir das 19h, a autora estará na Plana para um bate-papo com o público e com os convidados Mariana Chama e Gilberto Tomé. Em seguida, irá autografar os livros.
Durante a realização deste projeto, Letícia visitou mais de 50 apartamentos nos bairros centrais de Porto Alegre – onde as ruas, com prédios de ambos os lados, configuravam uma situação de confronto de vistas.


15/10 - 19h

A-MIG Transmissão com Flores Feias, GMO e Rafa Eletronicsu



O A-MIG é uma plataforma nômade que transmite mixtapes e experimentos sonoros de artistas emergentes brasileiros e estrangeiros.
Até o momento, mais de 80 DJs e produtores de todos os cantos do Brasil e do mundo já participaram do canal, entre eles artistas mais estabelecidos da cena e outros com menos visibilidade, descobertos nas profundezas da internet. Entre os convidados, estão produtores emergentes brasileiros e de países como Grécia, Chile, Romênia, Austrália, Argentina, Venezuela entre outros também contribuíram para o projeto.

6/10 às 19h

Independentes: mesa-debate sobre autogestão



Novas formas de se apropriar da rua, reuniões abertas, formação voluntária de grupos de trabalho para a tomada de decisões administrativas e o vínculo desses projetos com os moradores e artistas de rua também serão alguns temas a serem explorados.



7/10 às 19h

2 anos de Ubu



Antes que o mundo acabe, venha debater e comemorar!
No dia 06 de outubro, sábado, véspera das eleições, a Editora Ubu organiza uma tarde de conversas sobre temas de alguns livros que integram o seu catálogo.

14h30: Pedro Paulo Pimenta
A origem das espécies de Charles Darwin

15h30: Christian Dunker
A reinvenção da intimidade e a política no mundo atual

16h30: Marina Person
A obra de Stanley Kubrick

17h30: Renan Quinalha A hierarquia do sexo: o círculo mágico de Gayle Rubin


04/10 - 19h Debate: Permacultura e o consumo sustentável



Muito daquilo que a gente consome hoje é alimento processado, que vem das prateleiras dos supermercados direto para a nossa mesa de almoço ou jantar. Mas o que o arroz, a batata chips, o milho transgênico e o suco de caixinha têm em comum? A origem desses produtos não raro passa despercebida para quem mora nas cidades. Principalmente para quem conhece não o trabalho das reservas extrativistas, ecovilas, hortas comunitárias e assentamentos onde a terra atravessa todas as práticas e relações sociais.


01/10 - 19h

#EleNão: Como vencer o projeto antidemocrático nestas eleições



Debate com Esther Solano, Silvio Luiz de Almeida, Stephanie Ribeiro, Camila Rocha e Lucas Bulgarelli, com mediação de Renato Rovai (Revista Fórum)
Seguido de autógrafos de lançamento da coletânea O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil, organizada por Esther Solano.
Realização: Boitempo e Carta Capital
Apoio: Casa Plana

29/09 - 19h

Debate: A Conjuração de Catilina e a conjuntura política atual



No dia 29 de setembro, sábado, a partir das 19 horas, a Casa Plana recebe três convidados para debater o livro A Conjuração de Catilina, de Salústio, lançado pela Editora Hedra. Tida como uma das primeiras obras de História produzidas na Roma Antiga, A Conjuração de Catilina fala sobre a trama urdida pelo político Lúcio Sérgio Catilina, que, derrotado nas eleições para cônsul, tenta instituir um golpe contra o cônsul eleito Cícero, incendiar Roma e incitar os alóbroges (uma tribo da Gália) à insurreição.



27/09 - 19h

Itinerários, de Lenora Rosenfield




Itinerários é uma coletânea de trabalhos da artista visual Lenora Rosenfield, que pesquisa materiais e métodos de pintura e restauração há quase cinco décadas. A publicação de mesmo nome foi concebida como extensão da mostra que ocorreu em 2017 no MARGS, escrita e organizada pelo crítico de arte e curador independente Francisco Dalcol. A edição bilíngue, produzida pela Genuinaobra e publicada pela Editora Circuito, traz fotografias, reproduções e imagens documentais que reforçam o seu caráter biográfico.

26/09 - 20h

Lançamento: corpo-concreto, de Brisa Marques




corpo-concreto é o segundo livro da poeta, compositora e jornalista Brisa Marques. Composto por micro-poemas que têm o corpo como tema principal, o livro também fala sobre o universo feminino, o amor, a solidão, a queda e a morte, com uma linguagem "simples, direta e com senso de humor", como diz a autora. "Nada epopeico."

24/09 - 20h

Programa de ressonância #01: os fins do museu




No dia 24 de setembro, às 20 horas, a Casa Plana recebe o Museu do Louvre Pau-Brazyl para uma discussão pública sobre significados e perspectivas dos museus em relação a patrimônio, memória e imagem nacional.
A mesa será composta pelas professoras Renata Motta, Ana Luiza Nobre e a antropóloga Luísa Valentini. Mediação por Jéssica Varrichio e Guilherme Giufridao.

22/09 - 19h30

Lançamento: Sobrimagens, de Jorge Fernandes da Silveira




Sobrimagens tensiona campos imagéticos variados. A preposição "sobre" que compõe o título deste livro está relacionada tanto ao assunto, quanto ao modo de investigá-lo. Estão em cena, a todo momento, os exercícios crítico e criativo, que caminham lado a lado, dialogando entre si. 
Este é o novo livro de Jorge Fernandes da Silveira, que será lançado no dia 22 de setembro, sábado, às 19h30, na Casa Plana. 

20/09 - 19h

Fotolivros em debate: Um dia seremos famosos e nada disso vai importar, Luciara e Noites desperdiçadas




No dia 20 de setembro, quinta-feira, às 19 horas, a Casa Plana recebe Andressa Cerqueira, Henrique Carneiro e Vitor Casemiro para uma conversa sobre três fotolivros: Um dia seremos famosos e nada disso vai importar, Luciara e Noites desperdiçadas. Com mediação de Fábio Messias, fotógrafo e co-fundador do grupo de estudos de fotolivros Trama, o evento marca os novos lançamentos da Editora Madalena.


13/09 - 19h

Crise e golpe, com Alysson Leandro Mascaro




No dia 13 de setembro, quinta-feira, às 19h, a Casa Plana recebe o jurista Alysson Leandro Mascaro para o lançamento de seu novo livro, Crise e golpe, publicado pela Editora Boitempo. Em Crise e golpe, o jurista Alysson Leandro Mascaro parte da crise político-econômica atual e do golpe em curso para destrinchar a complexa relação entre Estado, direito e formação social. Em uma interpretação original, influenciada principalmente por Evguiéni Pachukanis e Louis Althusser, o autor revela o caráter estrutural das crises e dos golpes, fundados em bases ideológicas e institucionais próprias do capitalismo.

12/09 - 19h

Lançamento: Michel Temer e o fascismo comum, de Tales Ab'Saber e convidados




No dia 12 de setembro, quarta-feira, às 19 horas, a Casa Plana recebe o psicanalista e professor Tales Ab’Sáber para o lançamento de seu novo livro Michel Temer e o fascismo comum (Editora Hedra). Além do debate de lançamento, que conta com Tiago Ferro (fundador da e-galáxia, editor da revista Peixe-elétrico e autor do romance O pai da menina morta) e Silvio Rosa Filho (professor de Filosofia da UNIFESP), será projetado o documentário Intervenção: o amor não quer dizer grande coisa, também dirigido por Tales Ab’Sáber.

11/09 - 19h

Voadora #4 com Lucas Kröeff:
ALAN14ROMUALDO14222




Uma nova cidade surge no interior do Maranhão: Bacabeira. O que antes foi um  bairro da cidade de Rosário em 1994 se torna um pequeno município que atraiu as atenções do Brasil e do mundo, quando o governo brasileiro e a Petrobrás anunciaram a criação da sua maior refinaria de petróleo. Migrações em massa, inéditos edifícios de vários pavimentos, investidores nacionais e internacionais, hotéis, bilinguismo, uma série de mudanças que alteram bruscamente a rotina e a paisagem de Bacabeira.

30/08 - 19h

Vanguardia Poética Latinoamericana,
de Clemente Padín




Vanguardia Poética Latinoamericana y otros ensayos é a obra mais recente do artista uruguaio Clemente Padín. O evento faz parte de uma campanha de financiamento coletivo para imprimir 500 cópias do livro. Organizado pelo coletivo suR/L, composto por Mado Reznik (AR), Editora microutopías (UR-BR), Imprenta Rescate (AR) e Desapê (BR), o projeto também também temuma página no Idea: https://bit.ly/2OXOnHV.


28/08 - 19h

Clube de Leitura da Folha: Angola Janga,
de Marcelo D’Salete




No dia 28 de agosto, terça-feira, às 19 horas, o Clube de Leitura da Folha se reúne para discussão da obra de agosto: a HQ Angola Janga - uma história de Palmares (Editora Veneta), de Marcelo D'Salete.
O clube é uma roda de conversa, sem um palestrante. Trata-se de reunir um grupo de leitores, com igual direito à palavra, para discutir um livro que leram ou que estão lendo.

23/08 - 20h

Lançamento do livro Carlos Viaja com China e Tulipa Ruiz




Carlos viaja foi escrito pelo músico China (ex-VJ da MTV) depois de uma viagem de férias com a família. Ilustrada pela cantora Tulipa Ruiz, a obra trata de uma questão que todo mundo que tem cachorro já enfrentou: onde deixar o bichinho durante a viagem? “Visitamos um desses hotéis para cachorro, mas na última hora, eu e minha esposa resolvemos levá-lo com a gente nessa viagem”, conta China, autor do livro. “Durante as várias horas de estrada, Carlos viaja ia nascendo”. Na quinta-feira, 23 de agosto, a partir das 20 horas, a cantora Tulipa Ruiz e o músico e apresentador China participam de uma conversa na Casa Plana sobre o livro Carlos viaja.

20/08 - 19h

Em estado de fúria:
dez poetas na Casa Plana




Na segunda-feira, dia 20 de agosto, a partir das 19 horas, receberemos dez escritores para uma série de leituras e performances de poemas, fragmentos de prosa, trechos de obras acabadas e inacabadas - ou em processo de formação, como alguns dos escritores presentes. Com curadoria de Márcia Fráguas, o evento reúne Ana Rüsche, Dirceu Villa, Leonardo Chioda, Paulo Ferraz, Anna Clara de Vitto, Cecília Floresta, Viviane Nogueira, Ana Beatriz Domingues, Camila Assad Quintanilha e Márcia Fráguas (que também fará algumas leituras).


17/08 - 19h

Impressão Minha: documentário sobre publicações independentes




Diante da hegemonia digital, a materialidade do livro ainda instiga. Impressão minha apresenta a movimentação que acontece em torno dos livros e publicações independentes, no Brasil. Imerso entre artistas, editores e seus livros, o documentário abre espaço para reflexões sobre o mercado editorial, a liberdade de criação, a suposta oposição entre digital e impresso, o livro como objeto, as técnicas artísticas e de impressão.

15/08 - 19h

Debate: A ficção política de China Miéville,
com Ana Rüsche, George Amaral e Mauro Iasi





No dia 15 de agosto, quarta-feira, às 19 horas, a Casa Plana recebe Ana Rüsche, Mauro Iasi e George Amaral para comentar a obra do escritor inglês China Miéville. Conhecido pelo aclamado Estação Perdido, livros pelo quais o escritor ganhou os prêmios British Fantasy (2000) e o Arthur C. Clarke (2001), China é tido como um dos principais expoentes do new weird: gênero literário que teve início nos anos 90 e que se caracteriza pela mescla entre fantasia e ficção, ambientada em mundos paralelos complexos e realistas.

09/08 - 19h30

Debate: literatura árabe e relatos de viajantes
com Pedro Martins Criado, Mamede Jarouche e Graziella Betin


Lançamento do livro Viagem ao volga de Ahmad Ibn Fadlān da Editora Carambaia


O livro Viagem ao volga - relato do enviado de um califa ao rei dos eslavos é um dos documentos mais importantes da cultura islâmica. Escrito pelo viajante árabe Ahmad Ibn Fadlān, narra como uma expedição saída de uma das capitais do império islâmico, Bagdá, no século X, chegou a um assentamento viking às margens do rio Volga (onde hoje fica a Rússia central). Este será o tema do debate que ocorre no dia 9 de agosto, quinta-feira, às 19h30, na Casa Plana. Nesta ocasião, Pedro Martins Criado conversará com Mamede Jarouche (professor de língua e literatura árabe na USP) e Graziella Beting (editora na Carambaia) sobre como essa narrativa moldou a imagem das culturas nórdicas e continua até hoje como referência entre os relatos de viajantes.

03/08 - 19h

Exibição: documentário Martírio

Diretor: Vincent Carelli em co-direção com Ernesto de Carvalho e Tita
Empresas produtoras: Papo Amarelo & Vídeo nas Aldeias
Produtora Executiva: Olívia Sabino
Roteiro: Vincent Carelli, Tita e Ernesto de Carvalho


O documentário Martírio, de Vincent Carreli, narra o confronto entre o agronegócio e os movimentos pela posse das terras ocupadas pelos Guarani Kaiowá, no Mato Grosso do Sul. Parte do filme foi gravada na década de 1980, quando o diretor fez suas primeiras incursões nas aldeias cuja demarcação segue, até hoje, conflituosa, principal causa do genocídio dos povos indígenas. As imagens são gravadas tanto em cores quanto em preto e branco e registram cenas de mobilização contra as violências perpetradas pelo Estado e seus agentes, muitos deles membros da bancada ruralista. Embora a Constituição atribua ao Estado o dever de demarcar as terras indígenas, a questão da exploração por terceiros muitas vezes é tratada com descaso pelas autoridades públicas, que fecha os olhos para a distintividade sócio-cultural dos índios. Esse documentário fala sobre as suas formas de articulação e resistência e será exibido na Casa Plana, no dia 3 de agosto, sexta-feira, a partir das 19h.


17/07 - 19h

Voadora #2
com Livros Fantasma: Holodeck Logbook



Holodeck Logbook é um arquivo vivo de projetos realizados em vias diversas, processos colaborativos e projeções futuras.
Desde sua primeira aparição em 2016, a Fantasma vem construindo um catálogo de projetos de artes visuais, cinema, poesia, narrativas pictóricas, design especulativo, não-ficção e experimentos sonoros. Através de materiais criados e coletados ao longo dos últimos dois anos, expõe suas vísceras ectoplasmáticas, buscando refletir sobre os caminhos trilhados e, assim, desvendar sua identidade, encontrar novos processos, parcerias e veículos.



13/07 - 19h

Lançamento: Vozes contemporâneas



Poetas participantes: Malu Alves, José Antonio Gonçalves, João Mognon, Luís Perdiz e Roberto Casarini
Com abertura de: Claudio Willer

No dia 6 de julho, às 19h, Malu Alves, José Antonio Gonçalves, João Mognon, Luís Perdiz e Roberto Casarini se reúnem para o lançamento da Coleção Vozes Contemporâneas, com livros produzidos no Laboratório de Criação Literária (Ed Lab), coordenado pelo poeta Claudio Willer, que fará uma breve apresentação na abertura do evento.



12/07 - 19h

O corpo na cidade: performance como forma de ocupação

Gabriela di Bella, Ivan Padovani e Coletivo Teatro Dodecafônico
Mediação: Felipe Moreira (Instituto Pólis)

Neste encontro, além de falar sobre a relação da fotografia com a arquitetura da cidade, também abordaremos a performance como forma de ocupação, atentando para outras linguagens artísticas. Qual é o papel da fotografia documental diante da crise habitacional? Como a arte performativa pode impulsionar novas miradas, derivas, ou até mesmo a criação de espaços comunitários? E o que a nossa arquitetura diz sobre os nossos modos de vida?




03/07 - 19h

Encerramento da Voadora#1 com Desapê



Já está chegando ao fim a Voadora #1 com o projeto Desapê, da descolecionadora Rita Mourão. O encerramento será uma visita guiada pela exposição e a apresentação de sua pesquisa na Suiça sobre o artista Dieter Roth e um paralelo com o Concretismo Brasileiro.




29/06 - 19h

Testo Junkie, transfeminismo e o uso da testosterona, um debate com Pombo, Roberto Guedes, Daniel Mori e Julia Bueno



Publicado em 2008, o livro Testo junkie, do filósofo transexual e feminista Paul Preciado, é um ensaio corporal e uma ficção autopolítica sobre um experimento com a ingestão periódica e autoadministrada de testosterona, fora de um contexto médico ou de transição sexual. No dia 29 de junho será realizado um debate sobre transfeminismo, medicina contemporânea e a evolução da indústria farmacêutica nos dias atuais.








16/06 - 17h

Slam das Minas



Slam feito por minas para todas as manas! MULHER NA VOZ!
Nosso cotidiano é feito de poesia.
Lançamento do livro ''Tudo nela brilha e queima'', de Ryane Leão e pocketshow de Bia Ferreira.








08/06 - 19h

Um Marx a descobrir: debate com Marcello Musto e Ricardo Antunes




Debate de lançamento do livro O velho Marx: uma biografia de seus últimos anos (1881-1893), do filósofo e cientista político italiano Marcello Musto. O evento deve contar com a presença de Ricardo Antunes e será organizado em parceria com a editora Boitempo.
Mediação: Daniela Mussi.


21/05 - 14h

Voadora #1: Desapê




A descolecionadora de livros de artista Rita Mourão inaugura o espaço expositivo da Casa Plana com o Desapê Móvel, carrinho com uma seleção de livros raros e os pôsteres da revista italiana Frigidaire.



XXXX
Mark
©2018. Casa Plana All rights reserved.