19 de janeiro de 2019



sábado





10h às 13h





Muralismo em São Paulo:
aula aberta pela cidade
(Módulo 3)



Investimento:
R$ 80,00


Em que ponto termina a arquitetura e começa a arte? Como essas linguagens se interconectam e a quem falam? Quais são suas narrativas e seus personagens? Inserido no período de maior verticalização da cidade, o muralismo moderno surgiu em São Paulo nos anos de 1950 e 1960, a partir da atuação de importantes arquitetos e artistas. Em 3 caminhadas, iremos conhecer emblemáticos murais da cidade, acompanhados pela historiadora da arte Patrícia Freitas.

* Não é necessário ter participado dos módulos anteriores para se inscrever neste curso




Assim como o centro da cidade, Higienópolis se verticalizou de modo rápido e constante nos anos 50 e 60, mas ao contrário das regiões centrais, o bairro cresceu com um perfil residencial e voltado às classes altas. Nessa caminhada trataremos da arte mural feita neste bairro, desde os murais feitos em São Paulo por Rebolo Gonçalves e Roberto Burle Marx ainda nos anos de 1940 até as propostas abstratas de Bramante Buffoni e Heinz Kuhn, feitas nos anos de 1960.

Murais

  • Edifício Louveira, Rebolo Gonçalves, João Vilanova Artigas, 1946
  • Edifício Irajá, Clóvis Graciano, Rubens Corsi, 1959
  • Edifício Lausane, Clóvis Graciano e Adolf Franz Heep, 1957
  • Edifício Prudência, Roberto Burle Marx e Rino Levi, 1944
  • Edifício Nobel, Bramante Buffoni e Siffredi e Bardelli, 1957
  • Edifício Santa Rosa, Heinz Kuhn, Augusto de Almeida Lima, 1962


Patrícia Freitas é Dra. em História da Arte pela Unicamp, com especialização em arte e arquitetura do século XX. Atualmente é professora e pesquisadora pós-doc no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP).

 ︎ anterior   ︎    próximo ︎   
©2018. Casa Plana All rights reserved.